Veja aqui mais detalhes sobre o recall do Toyota Corolla.

Para entender o recall da Toyota, é bom que se saiba primeiramente o que é um recall, o próprio nome já sugere a um “chamado” (call), que as empresas fazem quando após seus analistas comprovarem que em algum modelo fabricado, pode estar contido algum erro em alguma parte da composição do carro, então são chamados os portadores dos modelos contidos com chassis que tem numeração fornecida pela empresa, que fez o recall. Ter segurança para as empresas é essencial, para manter seu padrão de fábrica, que tem importância com seus compradores.

O problema contido é denominado de problema na transmissão, e atualmente está contido em 65.963 veículos. Já a troca de airbags considerados “fatais” atingem 53.635 unidades.

Foram convocados pela Toyota nesta terça feira (3 de abril de 2018), os portadores dos modelos da atual geração do Corolla.

Feita de forma organizada, primeiramente a convocação é feita para proprietários do Corolla 1.8 que contém câmbio automático, esses terão reprogramação na unidade de transmissão eletrônica da CVT. As 65.963 unidades envolvidas nesse processo foram fabricadas todas entre 7 de outubro de 2013 e 11 de agosto de 2017. Abaixo seguirá os intervalos alfanuméricos que não estão em sequência dos chassis:

Do Corolla GLi Automático 1.8

O Alfanumérico: 9BRBL3HE*. Os chassis serão de J0104446 até J0125110

Alfanumérico: 9BRBLWHE*; Já os Chassis vão de F0001003 até H0104445

Foi dito pela fabricante que pode existir uma possibilidade de ocorrer um mau funcionamento da válvula solenoide da transmissão CVT, isso faz com que a unidade de controle eletrônico acenda uma luz de advertência no painel de instrumentos, isso pode limitar a velocidade do veículo em até 60 km/h. Diferente de alguns outros recalls onde pode ser oferecido os riscos materiais e físicos aos ocupantes do veículo, a Toyota assegura aos seus passageiros que não vai haver a possibilidade desses danos ocorrerem por esse problema na válvula solenoide.

A partir do dia 16 de Abril de 2018, os veículos serão chamados para a reprogramação da unidade de controle eletrônico da transmissão CVT e pode ser necessário efetuar o reparo do componente, porém, não é em todas as possibilidades que isso vai ser de grande necessidade, talvez possa ser evitado, assim, menos um problema.

Agora sobre o problema nos airbags, que são “fatais”, dessa vez foram chamados 53.635 unidades que foram produzidas entre Janeiro e dezembro de 2013, para a substituição da bolsa de Airbag do passageiro, pois será necessário o serviço. A troca acontecerá em uma etapa única, que se iniciará em 4 de abril de 2018. Porém, relembrando que apenas será necessário nos carros que foram produzidos entre Janeiro e dezembro de 2013, carros diferentes dessas datas não serão chamados.

A empresa montadora de veículos visa a preocupação com a segurança de seus passageiros, sendo assim, o investimento nessa segurança pode lhe trazer um retorno de verba, pois a confiança dos passageiros em poder comprar um produto em que se sentem seguros resulta em uma maior compra e uma maior demanda de veículos no mercado. Desta vez, pela Toyota, não foi oferecido riscos físicos, porém, para o passageiro é de extrema importância estar em um veículo onde ele não ocorrerá a riscos físicos e saber que a empresa se importa com esses riscos, então ele se assegura de manter a compra de veículos na mesma linha, pois sabe que lá mesmo quando se parece seguro são feitas análises para que sejam melhorados cada vez mais os carros que estão sendo vendidos para todos, e é um fato chave em relação a quem tem famílias, que visam primeiramente preservar a vida de todos.

Gustavo Martins dos Santos


Saiba aqui mais detalhes sobre o chamado de recall do Hyundai HB20 e HB20S.

Foi divulgado no site da HYUNDAI MOTOR BRASIL que a montadora está convocando os proprietários dos modelos HB20 e HB20S, que são equipados com o 1.0 Turbo e com transmissão manual de 6 marchas, que foram fabricados entre o dia 28 de janeiro de 2016 e o dia 05 de fevereiro de 2018, com os chassis 9BHBG51BAGP561697 a 9BHBG51BAJP870541, não sendo sequenciais, para comparecerem a uma Concessionária Hyundai Motor Brasil mais próxima, para realizar uma inspeção na Válvula de Controle de Vácuo do Servo Freio do carro e caso seja necessário, realizar a substituição da peça de forma gratuita.

O motivo pela qual essa convocação está sendo feita é pelo fato de que em alguns casos poderão ocorrer um ressecamento da Válvula de Controle de Vácuo do Servo Freio em virtude de sua localização estar muito próxima ao Conversor Catalítico e de estar exposto à alta temperatura. No momento em que estiver conduzindo o veículo, o motorista poderá notar um ruído parecido com um assovio vindo da região do motor, além disso, a marca informou em seu site que o condutor pode perceber uma certa oscilação da marcha lenta, sendo assim, caso ele insista em continuar conduzindo o veículo nestas condições, provavelmente ocorrerá o endurecimento do pedal de freio por conta da redução de vácuo no Servo Freio.

As chances de a redução de vácuo do sist. de assist. de frenagem causar o endurecimento do pedal de freio fazendo com que o motorista precise aplicar uma força maior são grandes, isso poderá acarretar no aumento do tempo e distância das frenagens, podendo resultar até mesmo em acidentes, com danos físicos e danos materiais ao motorista, passageiros e a terceiros.

A Hyundai também informou que o freio não irá parar de funcionar por conta do endurecimento do pedal, o que vai acontecer é que será exigido mais esforço da pessoa que tiver conduzindo o veículo no momento em que ele precisar acionar o pedal de freio para frear o veículo.

A montadora recomendou que os proprietários dos modelos em questão interrompam o uso do carro e procurem imediatamente uma Concessionária Hyundai Motor Brasil, se por acaso perceberem um ruído parecido com um assovio ou notarem uma oscilação da marcha lenta (situação que será indicada através do ponteiro de RPM localizado no painel, durante a condução do carro).

Será realizada nos veículos que apresentarem esses problemas, e em todos os veículos da campanha, uma inspeção da Válvula de Controle de Vácuo do Servo Freio. Caso não sejam encontrados danos, um Isolador Térmico será aplicado sobre a peça. Nos casos em que foram encontrados os danos já informados, a empresa fará a substituição das peças que já virá com o Isolador Térmico.

O Início do Atendimento a esses modelos informados no início do texto foi no dia 29 de março de 2018.

Os proprietários que forem realizar a inspeção, deverão fazer o agendamento diretamente na Concessionária Hyundai Motor Brasil mais próxima ou da preferência do mesmo. Os clientes que tiverem alguma dúvida em relação à danos, atendimentos, etc., deverão entrar em contato com a Central de Relacionamento da Hyundai através do telefone 0800-770-3355. O atendimento nesse telefone acontece de segunda a sexta-feira, entre às 8 horas e às 20 horas. Aos sábados também são realizados atendimentos, mas o horário é diferente, irá acontecer entre às 9 e às 15 horas.

A inspeção de todos os carros será gratuita e quando for necessário realizar a troca da peça, a duração do atendimento deverá durar aproximadamente uns 30 minutos.

Para mais informações, além de entrar em contato pelo telefone o cliente também poderá acessar o site da montadora através do seguinte link: https://www.hyundai.com.br/servicos/recalls/recall-hb20-1-0-turbo?utm_uptracs=null.

Rosângela Rodrigues


Chamado da montadora atinge cerca de 16.193 unidades do modelo.

A Fiat Chrysler Automóveis Brasil Ltda (FCA) anunciou nesta quinta-feira, 16, um recall de pelo menos 16.193 unidades do veículo Fiat 500. Os proprietários de modelos do ano de 2012 a 2016, que possuem câmbio manual e com números de chassis não sequenciais de 3C3CFBR1C100677 a 3C3AFFAR1GT173711, deverão fazer a manutenção.

O motivo alegado pela montadora é de que existe uma eventual falha no sistema da embreagem, causada pelo curso excessivo do pedal da embreagem. Com isso, é possível que o fato acabe impossibilitando a troca de marchas, ocasionando a perda de tração do veículo, aumentando assim o risco a acidentes.

Com a manutenção, a empresa busca evitar futuros danos materiais e, principalmente, físicos dos motoristas, passageiros e terceiros envolvidos com o modelo. Conforme informativo, “Tão logo a solução definitiva esteja disponível, os proprietários de todos os veículos envolvidos na campanha serão convocados para a segunda fase do chamamento, para agendamento gratuito do reparo em uma das concessionárias da Rede FIAT”.

Ainda, a Fiat disponibilizou uma Central de Serviços ao Cliente, onde pode ser feita a consulta aos números dos chassis envolvidos ou demais informações, pelo telefone de contato 0800 707 1000. “Com esta iniciativa, a FCA visa assegurar a satisfação de seus clientes, garantindo a qualidade, a segurança e a confiabilidade dos veículos da marca FIAT”, complementa.

Instalada no Brasil desde 1976, na cidade de Betim, Minas Gerais, a Fiat Automóveis tem capacidade de produzir 800 mil veículos por ano. Com produtos de alta qualidade e tecnologia, e inovando sempre no design, ela é uma das empresas no meio automobilístico de maior crescimento no mercado brasileiro, investindo no novo, tanto em tecnologia como no mercado, com carros marcantes e diferentes. O modelo Fiat 500 é a prova disso. Apresentado oficialmente em 2009, o carro sempre foi famoso por sua beleza e pelas opções de composição deste.

Só em 2016, a montadora noticiou até o momento o recall de mais dois veículos, além deste anunciado por último. São estes: Freemont, fabricados entre os dias 3 de maio de 2012 e 27 de março de 2015, por possível desativação do sistema ABS e/ou do controle eletrônico de estabilidade; e ainda do modelo Toro, nas versões FREEDOM 4×4, 2.0, DIESEL e VOLCANO 4X4, ano 2015/2016, modelo 2016, para troca do dispositivo de trava do suporte do pneu estepe. A lista completa você encontra aqui. http://www.fiat.com.br.

Kellen Kunz


Falha referente à potência e à segurança dos modelos está no módulo de ignição.

Mais de cinco mil carros foram convocados para correções pelo grupo Fiat Chrysler Automobiles (FCA) – detentor das três marcas. Os ajustes a serem feitos servem para prevenir problemas em potência e segurança.

Os modelos da Chrysler são Town & Country de 2008 a 2010 e 300C 2008. Os Jeep são o Grand Cherokee dos anos de 2005 a 2008 e o Commander entre 2006 e 2007. O Dodge tem recall a fazer apenas nos Dodge Journey 2009 e 2010. Os chassis convocados estão entre 1J8HC58N75Y538722 e 2A4PS6D19AR332874, mas não são de forma sequencial. Os cinco modelos somam, como anunciou a própria FCA, exatamente 5.189 veículos.

O defeito referente à potência e à segurança está no módulo de ignição. Segundo o grupo, isso pode fazer com que a chave gire involuntariamente com o carro em movimento. O incidente causará queda de potência. De forma mais grave, fará com que a direção elétrica e os freios parem de funcionar. Em relação apenas à segurança, outro defeito de fabricação – conforme a empresa – pode causar o não funcionamento do airbags de todo o carro em caso de impacto.

Três telefones estão disponibilizados para o agendamento de recall ou para sanar dúvidas de inclusão ou não na chamada. Os clientes Dodge que necessitarem de informação devem ligar para 0800-730-7140. Para proprietários de Jeep, o número é 0800-703-7150. E, para donos de Chrysler, o telefone é 0800-730-7130.

A primeira irregularidade pode influenciar no acontecimento de acidentes. E ambas podem potencializar danos materiais e físicos em um possível impacto e até a levar à morte mais especificamente no caso dos airbags.

O FCA já realizou mais de cinco recalls apenas no Brasil em 2015.

Ao todo, até o momento, 2.709.954 de carros já foram chamados para a realização de correções de defeitos de fábrica no país neste ano por várias montadoras. Antes mesmo de ser encerrado, 2015 já detém o recorde de recalls em toda a história do setor automobilístico no Brasil.

Por Bruno Klein


Os veículos com o devido problema correm risco de incêndio

Foi convocado pela empresa fabricante de automóvel Mercedes-Benz, nesta última quarta-feira, dia 11 de março, um recall para 771 veículos do CLS e 239 do Classe E, o que totalizam 1.010 veículos envolvidos.

O motivo para a convocação desses veículos para o recall foi a constatação feita pela empresa de que, possivelmente, estes veículos estejam com a borracha de fixação do capô mal fixada, o que pode ocasionar a soltura deste componente que, se caso entrar em contato direto com o sistema de catalisador da tubulação do escapamento, pode dar início, facilmente, a um incêndio no veículo.

Os proprietários de todas as versões dos veículos citados acima devem comparecer com os seus veículos até uma concessionária da Mercedes mais próxima de suas residências para que o problema seja sanado.

Para sanar este problema, a Mercedes divulgou por meio de nota que os mecânicos da empresa irão realizar a instalação de grampos de fixação da borracha do capô, afim de que os carros não mais corram risco de pegar fogo.

Os veículos que foram afetados com essas anormalidade foram os fabricados entre 2 de julho de 2012 e 1º de dezembro de 2014 e possuem os seguintes chassis WDDHF5KW0EB000789 a WDDHK5KW5EA997875.

Para que o serviço seja feito nas concessionárias da marca e não haja filas de espera, a montadora adotou um sistema de agendamento, a fim de evitar mais transtornos para os seus clientes. O serviço de instalação destes grampos é inteiramente gratuito e demora uma média de 10 minutos para que seja feito com sucesso.

O telefone para os proprietários destes veículos realizarem o agendamento nas concessionárias é o 0800 970 9090, ou para aqueles que desejarem saber mais informações à respeito de todos os detalhes envolvendo essa operação, podem encontra-las no site da marca aqui no Brasil, que é o www.mercedes-benz.com.br.

Desse modo, a Mercedes-Benz está demonstrando o compromisso com o seu consumidor final e justificando porque ela é uma das marcas de maior renome no setor automobilístico.

Por Adriano Oliveira

Foto: divulgação


Os modelos da Série 3 e Town & Country da marca BMW e Chrysler deverão passar por recall. O motivo: problemas no air bag. São 502 unidades da primeira e 51 unidades da segunda a serem encaminhadas para manutenção.

Da BMW, a ação deve acontecer para os modelos 320i/A, 325i/A, 325Ci/A, 330i/A, 330Ci/A, 330 SMG Motorsport e M3 Coupé, fabricados entre dezembro de 2001 e março de 2003. A substituição será do módulo do air bag do passageiro do banco dianteiro, que de acordo com a fabricante, gerou a ação por ter ocasionado um acidente. O proprietário de um dos modelos registrou o problema.

A empresa constatou que em caso de colisão frontal grave, o dispositivo de air bag estaria sendo acionado inadequadamente, o que pode causar danos físicos e materiais aos ocupantes e terceiros.

Para quem possui o veículo da marca Chrysler, modelo 2013, deverão fazer a manutenção do Town & Country por ter sido apresentada uma falha no software do air bag lateral. O defeito, segundo informações da montadora, pode prejudicar o acionamento do dispositivo de segurança. A concessionária, então, afirmou que neste caso, o veículo terá o módulo do air bag reprogramado.

Quem tiver dúvidas sobre as ações das duas fabricantes deverá entrar em contato no telefone: 0800 707 3578, para os veículos da BMW e 0800 703 7130 ou através do site www.chrysler.com.br, para os da Chrysler.

Por Jaime Pargan


O Departamento de Transporte dos Estados Unidos informou nesta terça-feira, dia 18 de dezembro de 2012, que a concessionária Toyota será multada no valor de 17,35 milhões de dólares.

Esta multa milionária será paga ao governo americano por ter informado um recall fora do prazo determinado pelas autoridades americanas.

O defeito que ocasionou este recall consiste em um problema de segurança em mais de 150.000 unidades do Lexus RX 350 e Lexus RX 450h que poderia gerar força no acelerador.

Segundo a Toyota, não houve por parte da empresa nenhum tipo de desrespeito às regras de segurança dos Estados Unidos e que irá pagar o valor estipulado para a multa, pois pretende evitar longos processos judiciais.

Fonte: Reuters

Por Ana Camila Neves Morais


Mais um recall foi publicado na mídia para os donos de automóveis no Brasil e desta vez a convocação é da Ford para aqueles que possuem a Ranger Cabine Dupla 2013 produzida no período de 17 de abril a 21 de maio de 2012 com chassi na numeração de DJ24679 a DJ33229.

A necessidade de ajuste destes veículos ocorre devido a uma falha no travamento do encosto do banco traseiro que pode não ficar fixado corretamente e descolar-se para frente causando lesões nos passageiros.

O conserto deste sistema dura cerca de 20 minutos e será feito de forma gratuita nas concessionárias Ford de todo o Brasil a partir do dia 10 de dezembro de 2012.

Fonte: Autoestrada

Por Ana Camila Neves Morais


A marca Ford é uma das mais conhecidas e respeitadas do mundo, entretanto, quase 28.000 veículos da montadora norte-americana terão que passar por Recall.

O modelo que possivelmente pode apresentar problemas é o New Fiesta (2011, 2012 e 2013). De acordo com a empresa, há um defeito de montagem no sistema de segurança, sobretudo nos airbags, fato que ocasionalmente pode agravar lesões caso ocorra algum acidente.

O problema está concentrado em um dos airbags dos passageiros, especificamente no sensor, que pode falhar durante colisões.

Os convocados para participar da avaliação e reparo são os proprietários dos carros com os chassis apresentados entre os seguintes intervalos:

BM100380 e BM2402152011;

CM100037 e CM 2118212012;

DM10027 e DM1395482013.

A participação no Recall não é obrigatória, afinal não há leis específicas sobre o assunto. Mas ainda assim, é altamente recomendável, especialmente por garantir uma maior segurança para o motorista e seus passageiros.

Os interessados em saber mais a respeito do Recall deverão entrar em contato com a Ford através do site da empresa, ou esclarecer as dúvidas por meio do telefone 0800 703 3673.

Por Larissa Mendes de Oliveira


A montadora de veículos Ford anunciou a realização de recall em unidades do veículo Ford EcoSport 2.0 fabricados no ano de 2011 e equipados com câmbio automático.

De acordo com a empresa, existe um problema na fixação do câmbio, que poderá soltar devido às falhas no material dos parafusos que prendem a transmissão.

A Ford alega que caso ocorra este travamento do sistema de transmissão, o câmbio travaria repentinamente todo o conjunto de tração, gerando o risco de acidentes. O chamado de recall seria para fazer a substituição dos coxins de fixação do sistema.

Os veículos envolvidos no chamado possuem numeração de chassis entre: B8559570 a B8606238. Os proprietários destes veículos devem procurar a rede de concessionárias da marca para agendar uma inspeção a partir do dia 30 de maio.

Nem todos os veículos envolvidos no chamado precisarão da realização de intervenções mecânicas.

Por Henrique Pereira





CONTINUE NAVEGANDO: