BMW modelo elétrico será produzidoA BMW, famosa montadora alemã, confirmou a produção de seu primeiro automóvel elétrico.

O carro em questão apresentará uma satisfatória autonomia de 160 km. Diante desse novo projeto da BMW, fica mais do que evidente de que a marca está completamente ligada à tendência sustentável que invadiu o segmento automotivo.

O motor do modelo será capaz de gerar 170 cavalos e a velocidade máxima do modelo será de 150 Km/h. O carro elétrico da BMW será leve e terá um design diferenciado, além de fibra de carbono na composição.

Segundo a marca, o veículo contará com várias inovações tecnológicas, dentre elas:  aplicativos funcionais, acabamento impecável e muito conforto na parte interna. As características e finalidades dos Apps só serão reveladas posteriormente.

De acordo com a BMW, o carro deve chegar ao mercado europeu no mês de novembro e o preço de venda deve girar em torno de US$ 41 mil.  O lançamento no Brasil não tem data prevista, mas tudo indica que no segundo trimestre de 2014 o modelo será disponibilizado em países fora da Europa.

Quem quiser saber um pouco mais acerca dessa grande aposta da BMW deverá acessar o site www.press.bmwgroup.com, onde mais detalhes podem ser conferidos.

Por Larissa Mendes de Oliveira Soares


A General Motors mostrou neste mês de dezembro, durante o Salão do Automóvel de Los Angeles, o novo Chevrolet SS.

Este veículo consiste em um sedã com tração traseira que teve como base para criação os carros usados na Stock Car americana.

Por isso, este carro contra com faróis em estilo mais arrojado, duplo escapamento, luzes de neblina de LED e outros.

Fonte: Autoblog.com

 

O Chevrolet SS possui, de acordo com a montadora, um motor V8 com tração traseira sendo o primeiro modelo com estas características feito pela General Motors para o mercado automotivo norte-americano.

A GM pretende iniciar a produção do Chevrolet SS no final do ano de 2013 com produção limitada sugerindo, assim, um padrão bem elevado nos preços deste superesportivo.

Por Ana Camila Neves Morais


A Datsun, empresa especializada na fabricação de veículos na Índia irá lançar mais três modelos no mercado mundial criados por meio da parceria Renault-Nissan buscando alcançar mercados fora da Europa em crise econômica.

O Datsun K2 terá o mesmo motor do Nissan March que é movido à gasolina sendo um carro do tipo compacto com início de testes a partir do semestre de 2013.

O outro lançamento será o Datsun I2 com design semelhante ao Nissan March com poucas opções de tecnologia, mas com preços atraentes.

O último modelo a ser lançado será um novo Datsun K2 com maior espaço interno para abrigar com conforto até sete passageiros em seu interior.

A Datsun não divulgou valores nem mesmo o início das vendas destes veículos nos mercados emergentes como Índia, China e América do sul.

Por Ana Camila Neves Morais


A empresa Fisker divulgou recentemente que irá interromper a produção de seu modelo Karma.

Esta paralisação se deve à falência do fornecedor A123 Systems que vende as baterias para o veículo e para realizar um novo contrato irá demandar um tempo maior que poderia ocasionar atrasos importantes já que testes devem ser feitos.

Fonte: Noticiadiaria.com

Por isso, até a definição pela Fisker do novo fornecedor de baterias o seu modelo Karma não será produzido. 

Por Ana Camila Neves Morais


Com um aumento de 12,8% no mês de outubro em relação ao mês anterior, a produção brasileira de veículos automotores retorna ao patamar recorde visto em agosto. Em outubro, foram produzidos 318.701 veículos contra 265.039 do mês recordista. Quando feita uma comparação com outubro de 2011, o aumento é maior ainda e chega a 20,2%.

Entretanto, no que se refere ao acumulado do ano, o desempenho da produção apresenta queda de 3,3%. Das linhas de montagem, foram apresentados ao mercado 2.781.574 unidades, sendo que no ano passado esse número era de 2.875.857. Estas informações foram reveladas pela Anfavea (Associação Nacional das Fabricantes de Veículos Automotores).

Apesar de o setor de comerciais leves e automóveis ter demonstrado um bom desempenho, os segmento de caminhões não teve um índice satisfatório. Ocorre que, no que se refere ao primeiro grupo, houve mais incentivos governamentais como a redução do IPI, além de algumas outras medidas que ajudaram a impulsionar as vendas das montadoras.

Para o próximo ano, o governo brasileiro estuda novas medidas para manter a boa média e aumentar os índices em setores que apresentam queda.

Por Marcelo Araújo


A Volkswagen comemora a produção de 7 milhões de carros da marca Gol no mercado de autos brasileiro.

Há 25 anos, o veículo é o mais vendido no país e sua fabricação teve início na década de 80. A versão mais tradicional foi, em um primeiro momento, produzida na unidade fabril da cidade de São Bernardo do Campo, São Paulo. É o famoso Gol quadrado, com carroceria branca e o motor com potência 1.0, até hoje visto em ruas e avenidas de todo o Brasil.

Para comemorar este marco histórico, as celebrações contaram com a participação do Conselho Mundial do Grupo VW juntamente com os funcionários que atuam na linha de montagem do chão de fábrica.

Segundo informações da marca, um Gol é fabricado a cada 47 segundos em uma das duas unidades onde é produzido.

Fora a unidade de São Bernardo do Campo, o carro é feito também em Taubaté (SP). Para se ter uma ideia da aceitação do modelo da Volks, de todos os veículos produzidos até hoje, seis milhões estão no país e um milhão foi exportado.

Por Marcelo Araújo

Fonte: Estadão


A Volvo já anunciou que em maio começará a produção em massa de um novo veículo em suas linhas de montagem. O modelo V40 foi apresentado no dia 28 de fevereiro através de imagens divulgadas pela própria marca. Este ano, a Volvo promete vender mais de 90 mil unidades do veículo que começará a ser montado em sua fábrica localizada em Ghent, na Bélgica.

O automóvel moderno de cinco portas será mais uma atração no salão mais famoso da Suíça. No Salão do Automóvel de Genebra o Volvo V40 irá exibir seu mais novo sistema anticolisão, o “City Safety”, que agora possibilita atingir uma velocidade máxima de 50 km/h.

O que todos os amantes da Volvo se perguntam agora é: “Mas e a motorização?”. E a marca responde com a maior satisfação: o novo modelo irá apresentar nada mais nada menos do que três versões a gasolina. São eles, com as suas respectivas potências: O T3 de 150 cavalos, o T4 de 180 cavalos e o T5 com todos os seus 254 cavalos.

As edições que incluem o D2 de 115 cavalos, o D3 de 140 cavalos e D4 de 177 cavalos serão a base de diesel e só serão vendidas na Europa.

Por Jéssica Monteiro 

Fonte: G1


Os apaixonados pelo Uno Mille podem se animar para trocar de versão nos próximos anos. É que o novo Mille começará a ser fabricado em Pernambuco a partir de 2014, onde está sendo construída a nova fabrica da empresa. Por enquanto, o que se sabe de concreto é que o novo modelo foi flagrado rodando nas ruas de Betim, em Minas Gerais,e agradou a crítica.

Inspirado no Fiat Seicento (600), pelo menos no que diz respeito à plataforma, na versão de testes do novo Mille pode-se perceber que ele será menor do que o antigo. Por outro lado, um novo design o aguarda, pondo um ponto final na atual concepção do carro, que ainda é produzida no Brasil e continuará sendo até o final de 2013.

Com um comprimento que chega a 3,34 metros, por 1,51 metros de largura e 1,42 metros de altura, a nova geração do Mille será de fato mais leve, característica que pode fazer com que os usuários percebam uma semelhança evidente com o Novo Uno. O motor provavelmente terá dois cilindros MultiAir da FPT, algo por si só condizente com outra característica a ser levada em conta pela montadora, que é o bom desempenho com alta economia e baixíssima emissão de gases poluentes.

Portanto, em princípio, há bons motivos para os atuais donos da versão passada fazerem o upgrade em 2014.

Por Alberto Vicente

Fonte: Auto Esporte


Terremoto, tsunami e desastre nuclear. A tragédia tripla no Japão não poderia ter mesmo poucos efeitos na produção industrial daquele país. Tanto que o dano causado às fábricas na região de Sendai, aliado ao racionamento de energia devido ao desligamento de importantes centrais nucleares, como Fukushima-Daiichi e Onagawa, está trazendo transtornos para fabricantes de carros do país, como a Honda e a Toyota, com impacto sobre essas empresas no mundo inteiro, inclusive no Brasil e na Argentina.

Nesta segunda, 25 de abril, não houve produção de carros Toyota em Indaiatuba/SP, ou seja, cerca de 300 veículos deixaram de ser fabricados. A montadora também planeja reduzir a produção pela metade nos dias 13, 20 e 27 de maio em Zárate, na Argentina. Já na Honda, a produção será interrompida de 23 de maio a 3 de junho. Segundo informações divulgadas pelas montadoras à imprensa, não haverá demissões: a paralização visa apenas à normalização dos estoques de peças.

Os fornecedores dessas duas montadoras, notadamente aqueles da região de Sendai, não estão entregando adequadamente as peças. No Japão, a produção da Toyota chegou a cair a 1/3 do normal e ainda agora se encontra em cerca de 50% do que era antes do terremoto. Os números da Honda também não são muito diferentes.

Fora do Japão, segundo o Business Times de Singapura, a produção da Toyota está ainda menor, em apenas 40%. A expectativa da montadora é que a produção se normalize no fim do ano no Japão, e em agosto ao redor do mundo.

Por CG


O segmento de veículos automotores é um dos que mais movimenta cifras pelo país e pelo mundo. O Brasil, atualmente 4º maior mercado em todo o globo, continua a apresentar crescimento em seus números, propiciando para as montadoras nacionais e estrangeiras terreno fértil para a expansão de suas atividades e aumento das vendas.

Dados divulgados pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) apontam que a produção de veículos automotores, no país, chegou a 261,8 mil unidades em janeiro, o maior volume já registrado para o mês, superando o recorde anterior pertencente ao ano de 2008.

Segundo Cledorvino Belini, presidente da Anfavea, embora tenha ocorrido aumento na produção de carros, os níveis de estoques estarão dentro da normalidade dentro de 34 a 36 dias.

Se 2010 foi um período muito bom para o setor, as perspectivas para 2011 não são tão boas assim, embora ainda sejam positivas. Segundo a Anfavea, o crescimento deve chegar no índice de 1,1% no referente à produção de autoveículos, porém pode recuar 3,9% se destacadas máquinas agrícolas.

Por Luiz Felipe T. Erdei

Fonte: Estadão


O setor de veículos automotores tem aproveitado o momento propício da economia brasileira para crescer. As montadoras instaladas no país, no geral, apresentaram bons números em 2010, sobretudo no último bimestre do ano, considerado um dos melhores períodos de toda a história do segmento.

No dia 1º de fevereiro a PSA Peugeot Citroën comemorou seu 10º ano de produção de carros no país. Inicialmente, dois modelos foram edificados e após essa primeira década já são oito os exemplares produzidos, quatro por cada uma das marcas.

Segundo Carlos Gomes, presidente da PSA Peugeot Citroën no Brasil e América Latina, no primeiro ano de atuação 48,6 mil veículos foram comercializados, representando 3% do total vendido pelo país. Nos dias atuais o número é bem mais avançado, uma vez que em 2010 as marcas representaram 174,4 mil unidades emplacadas, ou 5,2% da quota do mercado.

O 10º ano da PSA Peugeot Citroën marca, também, o início da expansão do Centro de Produção de Porto Real, possível graças a um investimento de R$ 1,4 bilhão enquadrados entre 2010 e 2012, aumentando a capacidade anual produtiva de 150 mil para 220 mil unidades.

Por Luiz Felipe T. Erdei

Fonte: PSA Peugeot Citroën





CONTINUE NAVEGANDO: