Os mercados automotivos tem características diferentes de acordo com seus ideiais e consumidores. Isto demanda o surgimento de carros específicos para certas partes do mundo.

Pensando nesta questão, a Chevrolet fez diversas alterações no SUV Captiva para a sua distribuição no Brasil.

Este veículo fabricado no México conta agora com rodas com 17 polegadas, para-choques com novos desenhos e um design externo diferente que o torna mais próximo do modelo Tracker.

Fonte: Caranddriverbrasil.uol

 

As alterações feitas por dentro do Captiva foram poucas como a inserção de novos revestimentos e retrovisor com pequena tela.

De acordo com a Chevrolet, a Captiva modificada deve estar disponível para o comércio nas concessionárias do Brasil já em janeiro do próximo ano

Por Ana Camila Neves Morais


A General Motors mostrou neste mês de dezembro, durante o Salão do Automóvel de Los Angeles, o novo Chevrolet SS.

Este veículo consiste em um sedã com tração traseira que teve como base para criação os carros usados na Stock Car americana.

Por isso, este carro contra com faróis em estilo mais arrojado, duplo escapamento, luzes de neblina de LED e outros.

Fonte: Autoblog.com

 

O Chevrolet SS possui, de acordo com a montadora, um motor V8 com tração traseira sendo o primeiro modelo com estas características feito pela General Motors para o mercado automotivo norte-americano.

A GM pretende iniciar a produção do Chevrolet SS no final do ano de 2013 com produção limitada sugerindo, assim, um padrão bem elevado nos preços deste superesportivo.

Por Ana Camila Neves Morais


A Fisker está buscando aumentar os seus mercados consumidores para a venda de seus automóveis.

Esta necessidade surge como uma tentativa da montadora de fugir da crise econômica que está causando recessão nos Estados Unidos e Europa onde a empresa comercializa a maior parte de seus veículos.

Em virtude desta situação, a Fisker anunciou que pretende entrar no mercado automotivo da China já no segundo trimestre de 2013, pois este país tem uma estimativa de crescimento na venda de carros de luxo no montante de 2,7 milhões de veículos até o ano de 2020.

Além disso, a empresa norte-americana entrou recentemente no Oriente Médio com o início da oferta de alguns veículos de luxo nesta área do planeta.

Devido ao potencial destes países emergentes, a Fisker quer aproveitar este bom momento fazendo alianças com empresas locais visando o financiamento desta expansão.

Por Ana Camila Neves Morais


A Datsun, empresa especializada na fabricação de veículos na Índia irá lançar mais três modelos no mercado mundial criados por meio da parceria Renault-Nissan buscando alcançar mercados fora da Europa em crise econômica.

O Datsun K2 terá o mesmo motor do Nissan March que é movido à gasolina sendo um carro do tipo compacto com início de testes a partir do semestre de 2013.

O outro lançamento será o Datsun I2 com design semelhante ao Nissan March com poucas opções de tecnologia, mas com preços atraentes.

O último modelo a ser lançado será um novo Datsun K2 com maior espaço interno para abrigar com conforto até sete passageiros em seu interior.

A Datsun não divulgou valores nem mesmo o início das vendas destes veículos nos mercados emergentes como Índia, China e América do sul.

Por Ana Camila Neves Morais


A marca do Sul da Coreia, Hyundai, fechou um acordo com sindicalistas que estavam em greve. Com objetivo de reiniciar as atividades normais em suas unidades fabris, a montadora conseguiu terminar a greve mais cara de todos os anos de existência da fabricante de veículos. Os números que refletem o prejuízo da Hyundai então em torno de 80 mil carros que, com a paralisação, não foram produzidos em suas datas de planejamento e chegaram a dar prejuízos em torno de 1 bilhão e meio de dólares.

Com o acordo entre a montadora e os sindicalistas, chegou-se a um reajuste no salário. Houve uma assembleia onde mais de 50% dos funcionários votaram a favor do fim da greve. De acordo com as novas medidas, estima-se que o turno noturno não existirá mais, dando lugar a um horário que encerra as atividades perto da meia noite. Para superar os prejuízos da greve, a Hyundai tem planos de investimento que superam a marca dos US$ 200 milhões. Com isso, os sindicalistas prometeram aumentar a produção.

Porém, a crise não atinge apenas a Coreia, montadoras europeias, principalmente de Itália e França, têm lidado com problemas de baixas vendagens durante este ano.

Por Marcelo Araújo


O mercado brasileiro de automóveis deve ter, a partir de setembro, a presença de mais uma montadora chinesa. Trata-se da Brilliance, que será representada no país pela CN Auto, que já comercializa as marcas Haffei e Jinbei por aqui.

De acordo com Humberto Gandolpho Filho, diretor comercial da importadora, que falou a vários sites especializados em automóveis, os dois primeiros modelos da Brilliance que vão chegar ao Brasil são o FRV Cross e o FRV GL, que já estão homologados e aptos a serem comercializados. Eles vêm completos de fábrica, como já é de praxe nas fabricantes chinesas, e também em versões com câmbio manual e automático.

O FRV GL é um hatch, que tem sob o capô o motor 1.5, de 16 válvulas, que desenvolve 102 cv de potência e torque de 13,6 kgfm, acoplado a uma transmissão manual de cinco marchas (automática como opcional).

Já a versão Cross tem a mesma motorização, mas difere no visual, apresentando características de off-road, e também nos itens de série.

A CN Auto espera vender 2.000 unidades ainda em 2011. Para isso, pretende abrir uma rede de 20 revendedoras da Brilliance, em todo o país, até o final do ano.

Por André Gonçalves


Muitos motoristas literalmente viajam junto com os filmes hollywoodianos, tanto que personagens das películas são representados em eventos da vida real, similar aos cosplayers japoneses. Em várias projeções, poucos são os carros que chamam tanto a atenção dos brasileiros quanto os MiniCoopers, sobretudo em relação ao visual exterior. O Brasil receberá, em breve, uma versão de entrada da marca com custo abaixo de R$ 70 mil, o MINI One.

Os 100 primeiros consumidores que adquiri-lo, ainda em período de pré-reserva, receberão como bônus especial um pacote de serviços que abrange mão de obra e peças. O melhor de tudo é que isso não terá custo algum, sendo basicamente uma promoção.

A versão One do MINI deve chegar aos seus compradores no final do próximo mês. Esses felizardos, que adquirirem as 100 primeiras unidades, sairão favorecidos na hora de realizar inspeções, trocar óleo, filtro de ar e de combustível, fluído de freio, microfiltro do ar condicionado e velas de ignição.

O serviço exclusivo oferecido pela marca tem validade de 50 mil quilômetros ou 03 anos (o que acontecer antes).

Por Luiz Felipe T. Erdei

Fonte: Fenabrave


Pequenos, leves, agradáveis, divertidos e agregando luxo e alguma sofisticação aos modelos, os minicarros ou compactos, agora denominados de Premium, parecem ser um filão a ser explorado pelas montadoras no Brasil. E elas parecem estar entusiasmadas, pois o mercado consumidor cresce alimentado pelo bom momento econômico do país com ascensão social e pelo sucesso que este tipo de carro já faz na Europa, onde o Mini Cooper é um ótimo exemplo disso.

E aqui no Brasil nada melhor do que aproveitar este bom momento, popularizando os modelos pequenos, mas sem perder a característica de “Premium”. Sem uma data específica para a chegada do Fiat 500 que será fabricado no México e que será comercializado no Brasil, a BMW sai na frente e já em maio lançará o Mini One com preço em torno de R$ 70 mil.

Com seu design característico, seu visual um tanto “retrô” chique e certa classe graciosa, o Mini One mantém o charme do desenho e a característica de leveza do modelo. Com motor que pode render até 98 CV de potência e menos opcionais que outros modelos da marca, o que o torna o modelo de entrada e também garante o preço mais acessível, a BMW espera uma grande demanda para o simpático carrinho, levando-se em consideração ainda o potencial do mercado que apenas em três meses deste ano já teve vendidas 556 unidades do Mini no país.

Por Mauro Câmara

Fonte: G1


O mundo está de olho nos mercados emergentes. O Brasil, por exemplo, tem chamado a atenção de inúmeros investidores pelo globo terrestre, não apenas pelo potencial do mercado interno, mas também por questões cambiais.

A Mitsubishi Motors, uma das empresas que observa crescimento nas nações em desenvolvimento, almeja, nesse mesmo círculo, expandir-se velozmente, algo que viria somado a grandes cortes de despesas. A intenção? Dobrar lucros operacionais em um triênio.

Traduzindo a citação acima em números, o objetivo da montadora é elevar a comercialização de seus carros em 37%, para cerca de 1,37 milhão de veículos entre 2013 e 2014, número abaixo do estimado por Osamu Masuko, presidente da Mitsubishi (1,5 milhão).

A diminuição de despesas proviria de um corte de custos aproximado de R$ 1,8 bilhão por meio da aquisição de itens no exterior, ou seja, além das fronteiras japonesas.

Brasil, Rússia e China, nessa história, poderão receber um ou mais modelos diferenciados para contribuir com o aguardado aumento das vendas da montadora até o final de 2015.

Por Luiz Felipe T. Erdei

Fonte: Folha UOL





CONTINUE NAVEGANDO: