A Land Rover nasceu no Reino Unido no ano de 1948 e é uma das pioneiras na indústria automobilística, principalmente  devido à linha dos conhecidos SUVs. Os mais vendidos hoje no Brasil são os modelos Range Rover Sport e o Range Rover Evoque.

Como já havia sido cogitado, o Grupo que agora é chamado de Jaguar/Land Rover confirmou que a sede brasileira será realmente no Rio de Janeiro, na cidade de Itatiaia. Especula-se que cerca de mais de 400 empregos serão gerados em um projeto que vai custar cerca de R$ 750 milhões.

A nova fábrica nacional deverá produzir 24 mil veículos ao ano e as primeiras unidades a ficarem  prontas serão apresentadas em 2016.

As obras vão começar no próximo ano e a empresa não abriu detalhes sobre os modelos que serão fabricados em solo brasileiro, mas certamente o Evoque e o Freelander já estão previstos na lista.

Todos os detalhes foram acertados e firmados sob a presença do Governador Sergio Cabral, do Diretor Global de estratégia e Desenvolvimento Phil Hodkinson e do Presidente da Jaguar Land Rover América Latina e Caribe, Flavio Padovan. Sendo assim, o Brasil fica sendo o 4º país a ter a fábrica da britânica. As outras são na própria casa, o Reino Unido, na China (que tem parceria com a Chery Motors), além de uma unidade recém-inaugurada e que é direcionada a veículos somente desmontados que fica na Índia. 

Segundo os dados da Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores), até o mês de outubro a Land Rover alcançou a marca de 8.920 mil carros emplacados no Brasil com importação do Reino Unido. Um considerável aumento de 30% se comparado ao mesmo período do ano anterior. Com esses dados o Grupo passa a ficar lado a lado com a BMW e Mercedes-Benz em relação ao número de vendas.

Por Luciana Ávila

Fábrica da Land Rover

Foto: Divulgação


Foi confirmada a implantação de uma nova fábrica da Mercedes-Benz na cidade paulista de Iracemápolis. O anúncio oficial aconteceu dia 1º de outubro, no Distrito Federal. Em reunião com Dilma Rousseff, presidente do país, os representantes da montadora assinaram o contrato de instalação.

De acordo com Andreas Renschler,  chefe de produção da Mercedes-Benz, o    investimento total na nova fábrica será de 170 milhões de euros, o equivalente a  R$ 510 milhões. A expectativa é que aproximadamente 1.000 empregos diretos serão gerados.

O início das atividades está marcado para 2016 e a princípio a estimativa é de que 20 mil unidades  de utilitários leves sejam produzidos anualmente. Os modelos que já  estão confirmados para fabricação na nova planta são o Classe C e o SUV compacto GLA. Os outros carros da categoria, por enquanto, continuarão sendo fabricados no México.

Philipp Schiemer, executivo da empresa, afirmou que a Mercedes será a única montadora/fábrica de veículos atuante em todos os segmentos de mobilidade (carros, ônibus, caminhões e vans) a ser instalada no Brasil.

A nova fábrica da Mercedes-Benz é a 12ª fábrica de utilitários leves a ser implantada no  Estado de São Paulo, o que sinaliza o quanto o mercado de automóveis no país está mais em alta do que nunca.

Por Larissa Mendes de Oliveira Soares


O Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) está pronto para aprovar um dos investimentos automotivos mais caros da história. Ele vai desembolsar um valor de R$ 307,4 milhões a Hyundai Motor Brasil.  Essa quantia será aplicada para financiar a fábrica da montadora em Piracicaba, no interior de São Paulo.

Algumas obras de instalações e testes de equipamentos devem estar prontas até março deste ano, mesmo que a produção seja iniciada no final de 2012. O capital vai ser investido na indústria brasileira da Hyundai justamente para ajudar com as inovações por parte do próprio fabricante de carros.

Modelos do segmento conhecido como HB que serão produzidos no país, além das novas construções dentro da empresa. Os que já estão sendo planejados, serão modelos como o hatchback  de três portas, o sedan de quatro portas e o Mini SUV conhecido como utilitário esportivo de cinco portas, com motorização flex e câmbio automático ou manual.

A produção do hatch será finalizada ainda no final deste ano e será o último automóvel a deixar a linha de montagem.  Os outros dois veículos, infelizmente,  ficarão para 2013.

Por Jéssica Monteiro

Fonte: Quatro Rodas


Controlador das ações da montadora JAC Motors em solo brasileiro, o Grupo SHC deve apresentar um projeto visando à construção de uma fábrica da empresa em Camaçari, no Estado da Bahia.  

A intenção de tal empreitada, que terá um investimento de aproximadamente  R$ 900 milhões, é que a fábrica esteja pronta no ano de 2014. A previsão é que ela produza cerca de 100 mil automóveis a cada ano (em dois turnos).  Outro fato importante, é que essa ação deve gerar mais de 3 mil empregos.

O Grupo SHC, que é brasileiro, irá arcar com 80% dos investimentos da construção da fábrica. O restante (20%) sairá dos recursos da JAC Motors.  O plano de implantar uma fábrica em território nacional já havia sido apresentado em agosto pelo Grupo SHC e a montadora, mas em setembro tal intenção foi suspensa pela empresa chinesa.  Isso aconteceu devido ao anúncio feito pelo Governo do Brasil, de que elevaria o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) em cerca de 30%, referente aos automóveis importados.

Com a notícia da construção de uma fábrica na Bahia, a JAC espera que o governo oferte condições que alterem tal decreto. Em Brasília, no Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio, o projeto da fábrica deverá ser protocolado.

No Brasil, o Grupo SHC já possui mais de 80 concessionárias, sendo que 40 são da JAC Motors. Até 2014 esse número deverá subir para 200.

Mais sobre a JAC Motors no site – www.jacmotorsbrasil.com.br.





CONTINUE NAVEGANDO: