Saiba aqui as principais vantagens e desvantagens dos Carros a Gás.

Atualmente o país vem enfrentando algumas dificuldades em relação aos meios de combustíveis que se colocam no veículo, não pelo seu desempenho, mas sim pelo preço que está sendo absurdamente alto, então o que resta é procurar maeiras diferenciadas de se conseguir economizar nesse sentido, temos então a opção mais ao alcance do brasileiro atualmente, que é a combustão à gás, já que como o Brasil vem sofrendo por uma crise, a esperança de carros movidos a energia solar ou elétrica acaba ficando um pouco longe da imaginação. Mas o combustível gás tem seus prós e contras, pois sua instalação fica com um preço relativamente alto, mas futuramente se vê a diferença, todas essas coisas serão explicadas com mais clareza nesta matéria.

No Brasil, quando um veículo aceita mais de um combustível mas não passa de dois tipos, é chamado de carro ou moto bicombustível, já quando o gás é inserido, podemos aderir o nome tricombustível, que seria o resultado de aceitação do veículo à gasolina, álcool e gás. Mas como já citado, o mercado nacional ainda não alcança alguns modelos com aceitação de mais combustíveis ainda, então pode-se encontrar em algumas outras partes do mundo carros que utilizem de quatro a cinco tipos de meios para a locomoção, isso é um grande avanço, pois além do dono poder optar por diferentes tipos de preços à colocar, mostra que os veículos atuais vêm sendo cada vez mais evoluídos tecnológicamente.

Decorrendo agora sobre o GNV, ou mais conhecido como o gás natural veicular, combustível que inicia sua produção e começa ser presente no país por volta do ano 2000, e atualmente parece ser deixado lado no mercado pelas pessoas pensarem basicamente apenas na opção do álcool e da gasolina. Muitas brasileiros e até pessoas de outra parte do mundo adaptaram o modelo que recebe gás como combustível e acabam sendo até divulgadoras da conversão de carros para assim fazer a utilização de gás natural veicular. Como já dito, tudo tem seus prós e contras, cada pessoa tendo um ponto de vista diferente sobre este combustível. Prosseguindo, observe algumas desvantagens de estar fazendo a utilização desta tecnologia.

Desvantagens de possuir o carro com GNV

Quando um modelo faz essa utilização, o motor do carro acaba trabalhando com mais pressão interna na peça chamada cabeçote, consequentemente a vida útil desta peça diminui, então isso afeta de maneira que ao quebrar o prejuízo acaba sendo muito grande, pois ela compõe basicamente metade do seu motor. O problema dela quebrar são as chamadas "trincas de cabeçote", causada simplesmente para o aumento de pressão nesta região. Além do problema no cabeçote, como a exigência ao motor maior, a parte elétrica também é um pouco mais cobrada, assim como os cabos de vela e as velas que duram bem menos em relação à um motor composto por gasolina ou álcool, em alguns caso pode-se observar que a durabilidade acaba caindo pela metade, isso em relação à qualquer peça, então esteja atento ao comprar esse tipo de "economia". Mais um detalhe importante é o espaço de uso, como ele é instalado no porta-malas, para carros de família, por exemplo, acaba não sendo tão bem-vindo por uma grande parte ser perdida.

Vantagens de utilização do GNV

Como já dito, por ser algo que tem vantagem econômica sobre os outros meios de combustão presentes no Brasil, seu consumo monetário e de desempenho pode reduzir cerca de 60% segundo testes realizados, mas como já dito, essa diminuição será percebida apenas depois de já ter instalado, pois o valor da instalação não é tão agradável. Como não há outras substâncias de combustível que possa contaminar o óleo do motor, ele consequentemente suja bem menos.

Gustavo Martins


É preciso ficar atento a algumas dicas para escolher a melhor gasolina para abastecer o carro.

Com a alta da gasolina, tudo que o motorista puder fazer para economizar é bem-vindo e tem ainda a questão de que nem toda gasolina é de qualidade, o que faz aumentar o consumo e, ainda, desgasta as peças do motor de forma muito mais rápida. Por isso, é bom ficar atento na hora de escolher a gasolina para abastecer seu carro.

Você precisa escolher um posto que seja de confiança e saber escolher a gasolina ideal para seu carro.
O ideal é que você abasteça seu carro sempre com combustíveis que ofereçam controle de qualidade, por exemplo, a Petrobras tem o programa "De Olho no Combustível", que garante uma gasolina de qualidade em seus postos. A empresa percorre o Brasil com um veículo dotado de todos os equipamentos necessários para testar a gasolina e vai visitando os postos de combustíveis da marca e testando a gasolina. Estas visitas são surpresas e fazem com que o combustível da Petrobras seja de qualidade nos postos por todo o País.

Outra questão a ter cuidado é saber qual gasolina escolher na hora de abastecer, se é melhor escolher a gasolina comum, a aditivada ou a premium.

Hoje no Brasil são comercializadas duas gasolinas, a Comum e a Premium, e estas podem ser ou não aditivadas.

Cada marca tem sua própria fórmula para aditivar a gasolina, que é uma gasolina com "detergentes" que vão ajudar a limpar o "sistema de alimentação de combustível" do seu carro e as sujeiras vão sendo eliminadas aos poucos, pelo próprio escamento do veículo. E temos ainda a gasolina Premium que é uma gasolina com maior "octanagem", ideal para os veículos importados que precisam desta gasolina para ter um desenvolvimento maior. Também a gasolina Premium pode ser aditivada ou não.

Fique sempre atento ao rendimento do seu veículo quando abastecê-lo e procure usar a gasolina sempre daqueles postos nos quais você confia. Também é bom conversar com os amigos, para saber onde eles abastecem e o que estão achando.

E lembre-se que a gasolina ideal para um veículo nem sempre é a mais indicada para outro, por isso, caso fique em dúvida, converse com o seu mecânico, pois após verificar o motor do seu carro ele vai lhe dizer qual gasolina utilizar com mais frequência e de quanto em quanto tempo você deverá utilizar, por exemplo, uma gasolina aditivada, para ajudar na limpeza.

Por Russel

Gasolina


Empreendedor baiano conseguiu transformar mel em combustível para seu veículo.

Luiz Jordans é nome de um inventor baiano que conseguiu transformar mel em combustível e vem chamando a atenção não só das autoridades brasileiras, mas também de vários outros países. Luiz é dono de uma produtora de mel no sudoeste da Bahia, na cidade de Barra do Choça e conseguiu realizar um feito que para muitos seria impossível: transformar o mel em combustível para seu automóvel.

E ele agora conseguiu zerar o descarte do mel e hoje utiliza um veículo para o seu empreendimento, somente à base do mel combustível.

A empresa de Luiz Jordans chega a produzir mais de 10 mil quilos de mel mensalmente e 100 quilos deste mel são descartados mensalmente, porque é um mel que traz riscos se for consumido pelo ser humano, então a solução era transformar todo este mel que seria jogado fora, em ração, que serve de alimento para as abelhas, só que havia o risco de fermentação e isso trazia risco para as abelhas.

A solução seria pegar todo este mel e simplesmente jogá-lo fora, só que Luiz Jordans é muito preocupado com a questão ambiental e não queria danificar o meio ambiente com este descarte. Luiz começou então a pesquisar o que poderia ser feito com este mel e descobriu que ele poderia ser transformado em álcool e com a ajuda da FAPESB – Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia – e também do SENAI – Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial – o empresário começou a dar um novo destino ao mel que deveria ser descartado.

O empresário Luiz Jordans conseguiu, ainda, transformar este mel em produtos que possuem as características para ser utilizado na produção de extratos medicinais e até de licores. Luiz Jordans ainda percebeu que 30% deste mel seria jogado fora, mas ele queria aproveitar todo o mel e não jogar nada no meio ambiente e assim começou um novo projeto, que é este de utilizá-lo como combustível.

Agora o mel  passa por uma fermentação, depois vai para a destilação e chega ao mel combustível. Então, o descarte de mel na empresa do Luiz Jordans é zero, como ele desejava.

O mel combustível é utilizado no veículo da própria empresa e Luiz disse não ter pretensão de utilizar o álcool do mel para fins comerciais, mas sem dúvida alguma, é mais uma solução para a substituição do petróleo que tanta poluição traz para o meio ambiente.

Por Russel

Mel combustível

Foto: Divulgação


A Ford, uma das maiores montadoras de veículos do mundo, divulgou detalhes do Novo Ford Ka, que pela primeira vez na história terá quatro portas, e de acordo com medições feitas em laboratório, o veículo consumirá apenas um litro de gasolina para cada 13,8 km rodados em média; na cidade o consumo diminui para 13,1 km por litro e na estrada pode chegar até 15,1 km por litro.

Por ser "Flex", o modelo também foi avaliado quando abastecido com etanol e com este combustível consome em média 9,5 km por litro; nas vias urbanas o consumo cai para 8,9 km por litro e nas estradas rodoviárias gira em torno de 10,4 km por litro de etanol. Após medições, o Novo Ford Ka obteve nota máxima no "Conpet", o programa de etiquetagem veicular do Inmetro, sendo classificado como o modelo mais econômico do Brasil na categoria dos compactos.

Outra novidade no Novo Ford Ka é que dessa vez o veículo terá como opção de compra os modelos hatch e sedan, ambos com motor 1.0 e potência de 80 cavalos. Com o intuito de facilitar a vida dos motoristas, principalmente em épocas com temperaturas mais baixas, o supracitado carro da FORD terá sistema de partida a frio, dispensando, assim, o uso de tanque auxiliar de gasolina.

As propagandas do Novo Ford Ka estão cada dia mais evidentes, e desde o seu pré-anúncio a Ford já se gabava por possuir o veículo mais econômico e ainda assim não dispensar o ar condicionado. O Up!, mais novo popular da VW, deve ser o grande concorrente do Novo For Ka. Com relação ao consumo de combustível, os dois se equivalem, no entanto o modelo da Ford se sobressai em vias urbanas, enquanto o Up! ganha no consumo pelas estradas rodoviárias.

Como falado, o Novo Ka é tido como compacto pelos especialistas e, assim, é classificado no mesmo segmento do Toyota Etios, VW Gol, New Fiesta, sendo considerado o mais eficiente da categoria e promessa real de estouro de vendas no país.

Por Vinicius Cunha

Novo Ford Ka

Foto: Divulgação


Automóveis com motores que utilizam fontes alternativas de combustíveis não são mais novidade. Os elétricos começam a sair da teoria, e preparam-se para ganhar as ruas. Já os flex, que fazem uso tanto do álcool como da gasolina são velhos conhecidos, principalmente dos brasileiros. Há também o bio-diesel, o GNV e o hidrogênio.

Pois a Fiat agora oferece mais uma opção: o gás metano. O primeiro o veículo a ganhar essa opção é o Doblò T-Jet Natural Power apresentado na Europa. A van é um híbrido, capaz de rodar tanto com gasolina como com gás. Graças à isso, a autonomia do veículo pode atingir até 625 km.

A multivan tem potência de 120 cv. O motor é um 16V, 1.4, turbo, e pode atingir até 172 km por hora.

Por Maximiliano da Rosa





CONTINUE NAVEGANDO: