Análise do Fiat Argo 1.0 2021 – Vantagens e Desvantagens



Confira aqui os principais prós e contras do Fiat Argo 2021.

Novidade no mercado automobilístico está dividindo opiniões entre os especialistas, que expressam pontos positivos e pontos negativos. O recente modelo de estreia Fiat Argo foi avaliado em suas vantagens e desvantagens, como versão Hatch de entrada.

Primeiro, uma definição do automóvel: o modelo Fiat Argo 1.0 consiste em uma versão de entrada na linha Hatch, sendo mantido o seu design externo bem moderno, muito agradável e bem-sucedido entre os consumidores, ganhando pontos a mais em termos de potência do motor, agora mais econômico. Entretanto, de acordo com os mesmos especialistas, esta versão não é completa, faltam-lhe alguns importantes itens na parte da segurança e até do conforto, tais como: os controles da tração e de estabilidade; falta uma central de multimídia. A ficha técnica, porém, é bastante animadora, não peca no que tange ao básico dos automóveis modernos, e em potência. Os leitores interessados em adquirir este modelo poderão conferir mais detalhes, de modo a estarem mais certos se este é o não o carro da vez, para eles.



É claro que a série do Fiat Argo possui versões de todos os tipos, dentro da categoria, desde o modelo de entrada até o Top de Linha, mas o foco aqui é o Hatch. Segue a ficha técnica:

– Está equipado de motor tipo flex, suplementado de 3 cilindros em linha, em 6 V, desempenho de 77 CV em escala de 6.250 rpm e mais 10,9KGFM de torque em 3.500 RPM;



– Munido de sistema de câmbio tipo manual, com cinco marchas, força de tração na dianteira;

– Está aparelhado de suspensão independente, mais o recurso McPherson e o eixo de torção nas rodas dianteiras e traseiras;

Leia também:  Opel Astra OPC Extreme - Novo modelo lançado no Salão de Genebra

– O sistema de freios é a disco ventilado na parte dianteira e a tambor na parte traseira;

– Está munido de direção (volante) elétrica, em 10,3 m no diâmetro de giro;

– Está equipado de pneus em aro 175 – 65, raio 14, tanto na dianteira quanto na traseira;

– As dimensões de sua estrutura externa são: 3,99m de comprimento; 1,72m de largura; 1,50m de altura; o entre eixos está em 2,52 metros. O peso oficial é de 1,077 kg. O tanque tem capacidade para 48 litros. Valor no mercado atual: o Argo sai por 61.840 reais.

Testes sobre o desempenho do Fiat Argo 1.0:

Em termos de aceleração ele atinge a marca de 0 a 100 km (h) em 15 segundos; atinge a marca de 0 a 1.000 km (h) em 36 segundos.

Em termos de frenagem: entre 60 – 80 – 120 km (h) a 16,3 – 29 – 66,5 m. o consumo em perímetro urbano chega a 14,1 km por litro; nas estradas (consumo rodoviário) chega a 15,7 km por litro.

Um dos articulistas da revista Quatro Rodas analisou o essencial do modelo, e expressou sua visão sobre vantagens e desvantagens do Argo:

Segundo ele, o motor em três cilindradas garante uma potência eficiente e economia de combustível, ao mesmo tempo, portanto, o consumo está nota dez, sobretudo com gasolina. O modelo, conforme as imagens, é bastante atraente, com um detalhe interessante na grade frontal, que lembra o desenho de escamas de peixe, os faróis dianteiros são mais largos e ajudam a expandir mais iluminação. O design é bastante discreto e elegante. As calotas lembram rodas de liga leve. Porta-malas com capacidade de 300 litros. Na parte interna, embora se trate de materiais bastante simples, os engenheiros da Fiat sempre apostam muito na elegância, apresentando acabamentos resistentes, de bom visual e com texturas variadas; tranquilo e macio, suave para dirigir, o que é muito bom para a atenção do motorista.

Leia também:  Hyundai ix35 - Lançamento no Mercado Brasileiro

Pontos negativos: embora o motor seja 1.0 zero, rendendo considerável economia de combustível, ainda assim, a aceleração e arranque não são tão potentes quanto se esperava; outro ponto negativo está no exíguo pacote de itens de série, muito básico, que torna esse veículo um tanto vazio; o terceiro ponto negativo está no valor, que chega a 60 mil reais, caro demais para um modelo de entrada e, por fim, o último ponto negativo, a falta de ajustes de banco para o motorista, que é essencial.

Paulo Henrique dos Santos

Please follow and like us:

Outros Conteúdos Interessantes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

RSS
Follow by Email