Confira aqui o preço e os detalhes do Fiat Mobi Drive 2017.

Enfim, a Fiat anunciou oficialmente os preços do Mobi Drive 2017. O modelo, que conta com um motor 1.0 de 3 cilindros, foi apresentado oficialmente durante a realização do Salão do Automóvel de São Paulo de 2016. De acordo com as expectativas da montadora, o carro deve ser responsável por uma fatia de 20% das vendas no que vem.

Confira os preços da linha Mobi 2017

  • Easy: R$ 32.380
  • Easy On: R$ 36.340
  • Like: R$ 38.470
  • Drive: R$ 39.870
  • Like On: R$ 42.930
  • Way: R$ 39.890
  • Way On: R$ 44.460

O Mobi Drive foi exclusivamente desenvolvido para o mercado nacional. O propulsor do carro tem capacidade para 77 cavalos de potência e 10,9 kgfm de torque (etanol).

Ele faz parte da nova família FireFly, que fez sua estreia no Uno em setembro de 2015. A montadora recebeu diversas críticas por não ter lançado o Mobi logo de cara com esse motor e por ter escolhido o já defasado Fire de 4 cilindros.

A Fiat, por sua vez, disse que a linha FireFly foi desenvolvida com o foco no consumo e no melhor funcionamento geral em baixos e médios giros.

A média de consumo com o etanol no Mobi Drive é de 9,6km/l em ambiente urbano e de cerca de 11,3km/l na estrada. Com gasolina essas médias ficariam em 13,7km/l e 16km/l, respectivamente.

Sobre o motor em si a Fiat diz ainda que ele foi desenhado com duas válvulas por cilindro basicamente porque nem sempre quando existem as quatro elas estão permanentemente em funcionamento. Com isso o modelo se torna ainda mais econômico.

Atualização do Motor Fire

As outras versões do já conhecido motor 1.0 Fire de quatro cilindros com capacidade para 75 cavalos continuam indo para o mercado, entretanto, receberam uma pequena atualização em seus componentes, o que resultou em uma melhora na eficiência entre 3% e 5%.

Voltando ao Mobi Drive, de série vamos poder contar com vidros elétricos nas portas dianteiras e trava elétrica; tela de LCD no painel de instrumentos; chave-canivete; sistema que elimina o "tanquinho" para partidas a frio; direção elétrica e ar-condicionado. No mais, ainda tem a função City, que faz com que a direção elétrica fique mais leve quando um botão no painel é acionado.

Por Denisson Soares


Modelo deverá ter 7 lugares e motor V6 3.0 TDI.

Conforme publicações na revista Motoring, o diretor de veículos comerciais da montadora na Austrália, Carlos Santos, teria anunciado um interesse da empresa germânica em produzir um SUV que será derivada do seu próprio modelo, a picape média Amarok.

Carlos também disse que apesar do anúncio, nada foi confirmado até o momento, porém, existem estudos desde que a picape Amarok foi lançada. Além disso, alguns rumores e especulações dizem que apesar da caminhonete não ser comercializada nos EUA, um modelo SUV baseado nela poderia chegar à terra do Tio Sam.

O novo veículo da marca deverá contar com um espaço para sete passageiros (contando o condutor) e teria uma linha robusta e off road se comparada com as outras opções que serão ofertadas pela montadora. O nome de tal modelo ainda não foi divulgado, porém, sabe-se que o propulsor V6 3.0 TDI seria um dos que faz parte de uma lista para fazer parte do mercado estadunidense.

O diretor também falou sobre uma certa preferência pelo motor V6 3.0 TDI, pelo fato do mesmo ser inserido no mercado americano em sua versão Euro 6, sem qualquer tipo de problema, ao contrário do 2.0 TDI, que apesar de ter sido redesenhado ainda iria gerar uma certa desconfiança nos consumidores.

Para a empresa alemã, neste mercado há um grande volume para que o investimento seja realizado. Fora o 3.0 TDI, este SUV baseado na Amarok deverá também contar com V6 3.6 movido à gasolina, acoplado com um câmbio de transmissão automática de oito velocidades ou então manual, possuindo seis marchas, além de dispor de tração 4×4. Nos Estados Unidos é muito provável que apenas as versões com 280 e 224 cavalos, respectivamente com gasolina e diesel, deverão ser comercializadas.

Aqui no Brasil este SUV receberia só uma segunda opção, alterando o motor 3.0 TDI pelo propulsor 2.0 TDI, já utilizado no modelo. A VW com este utilitário esportivo iria emplacar uma gama boa de veículos, pois ainda chegarão os novos Touareg, Teramont e Tiguan (LWB), isso sem falar do provável Polo SUV, que iria rivalizar com o Renegade, HR-V e o Trax/Encore.

Volkswagen Amarok 2017

FILIPE R SILVA


Descubra as principais novidades presentes no Onix e Prisma Joy 2017.

O novo ano nem começou e já tem trazido muitas novidades no setor automobilístico. Isso porque a GM Motors lançou na última sexta-feira, dia 5 de agosto, a linha 2017 dos seus modelos já conhecidos Prisma e Onix.

Com opções extremamente acessíveis do que os demais carros oferecidos pela montadora, o valor inicial do hatch fica em torno de R$38.990 e em contrapartida, o sedã parte de R$ 42.990. As duas versões tem um motor 1.0.

Sendo chamada de “Joy”, pode-se perceber que em relação à aparência externa do carro, muita pouca coisa mudou, mantendo-se assim o mesmo visual da linha de 2016, diferente daquelas versões mais caras e que foram apresentadas oficialmente no mês de julho. Entre as especificações dos veículos, o motor é o SPE/4 1.0 de 80 cavalos e torque de 9,8 kgfm, acompanhado do nome “Eco” para diferencia-lo das versões anteriores por ter anéis e pistões muito mais leves. Além disso, como forma de melhorar a lubrificação dos automóveis, a Chevrolet também trocou o tipo de óleo, para atender as necessidades.

Com estas mudanças, segundo o Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia, o Inmetro, os veículos são tidos como dois dos mais econômicos do mercado, com motor 1.0 e nota máxima no programa. No teste realizado, o Prisma Joy atingiu 13,1 quilômetros por litro de gasolina na cidade e 15,8 quilômetros por litro na estrada. Quando utilizado o etanol, a quilometragem foi, respectivamente, de 8,9 quilômetros por litro e 10,8 quilômetros por litro.

Já o Onix Joy, na opção com gasolina, faz 12,9 quilômetros por litro na cidade e 15,3 quilômetros por litro na estrada. Assim que trocado para o etanol, os valores são respectivamente de 9,1 quilômetros por litro e 10,8 quilômetros por litro.

Sendo, até então, sempre apresentada com a transmissão de cinco velocidades, na nova configuração o câmbio manual passa a utilizar as seis marchas, imitando os modelos mais caros. Além disso, nos detalhes internos, os modelos possuem acabamentos em preto e cinza, bancos revestidos e volante em preto fosco. Já as rodas são de liga leve com medidas de 14 polegas e desenho exclusivo, bem como os veículos possuem o sistema OnStar para recuperar o veículo em caso de furto ou roubo.

Gostou? Pois os modelos estarão disponíveis nas seguintes cores: Preto Ouro Negro, Prata Switchblade, Branco Summit e Cinza Graphite. Além destas, ainda é possível adquirir, somente na versão Joy, o Vermelho Pull me Over. Já o Vermelho Chilli somente estará entre as opções logo no lançamento das versões, com apenas quinhentas unidades. É pra não perder, pois a garantia é de três anos.

Kellen Kunz


Modelo deverá ser lançado com melhorias no motor.

Após o Chevrolet Cobalt ter passado por uma reestilização no ano passado, a renomada fabricante de veículos automotores Chevrolet já divulgou que nos próximos meses irá lançar com algumas novidades a nova linha 2017 do veículo. Dentre estas novidades muitos acreditam que a fabricante irá investir em melhorias no propulsor 1.8, na direção elétrica, bem como no câmbio manual de seis velocidades.

Já há especialistas arriscando em dizer que realmente o antigo motor Econo.Flex 1.8 litros de 8 válvulas foi modificado , sendo que nessa modificação novas peças que possuem menor atrito foram inseridas nele e houve um elevação na taxa de compressão, sendo que essa taxa foi alterada de 10,5:1 para 12,3:1. Com estas modificações a potência deste propulsor foi elevada de 108 cavalos a 5.400 rpm para 17,7 Kgfm a 2.600 rpm, sendo que quando este motor é abastecido com gasolina a 5.200 rpm ele continua gerando a mesma potência máxima anterior que era de 106 cavalos, contudo, o torque a 2.800 rpm passou de 16,4 para 16,8.

As versões destinadas exclusivamente aos taxistas e frotistas, LT e LTZ, continuarão vindo com o motor 1.4 litro, o qual possui a capacidade de gerar uma potência máxima de 106 cavalos e um torque de 13,9 Kgfm quando abastecido com etanol.

Para conseguir uma redução no consumo de combustível nos dois propulsores mencionados acima, a Chevrolet optou por adotar uma nova caixa de transmissão, a qual virá com um câmbio manual de seis velocidades, detalhe este que fará com que haja uma redução nas rotações do motor em velocidades de cruzeiro. Outra novidade ficará por conta da substituição do sistema de direção hidráulica por um sistema elétrico o qual possui funcionamento sem dependência do motor.

Para aqueles que acham que as novidades irão parar por aqui, o sistema de entretenimento do veículo será atualizado, haja vista que a central de multimídia MyLink ll, nessa nova versão, contará com setas de navegação na parte lateral do display , além de contar com comandos de voz.

Essas novas atualizações no setor mecânico, ao que tudo indica, será uma realidade para a linha de veículos 2017 da fabricante, haja vista que a minivan Spin também passará por reestilização e será contemplada com a mais nova identidade visual da Chevrolet.

Por Adriano Oliveira


Mercado registra aumento de 5% nas vendas no mês, mas ainda possui uma queda anual de 20,3%.

Com 174.792 carros vendidos neste mês de julho, o ano de 2016 está 20,3% abaixo do acumulado do mesmo período de 2015. Neste intervalo de 7 (sete) meses, 1.125.998 carros e comerciais leves foram vendidos em 2016, contra 1.489.319 do ano anterior. As vendas subiram 5,04% em relação ao mês de junho, onde 166.409 unidades foram comercializadas.

O volume diário foi de 8.323 carros por dia, que também foi um recorde comparado aos meses anteriores. Mas nada disso alivia a situação dramática em que a queda das vendas se encontra.

A GM mais uma vez foi a marca mais vendida no Brasil, com 29.581 carros, representando 16,9% do total vendido no Brasil.

Com apenas 872 carros a menos, representando 16,4 % do total, a Fiat reagiu a queda dos meses anteriores e se aproximou da campeã. Foram 28.709 exemplares vendidos.

Em terceiro lugar e com uma diferença considerada, a Volkswagen negociou 21.504 unidades e ficou na marca dos 12,3%.

Da quarta a sexta posição, as montadoras ficaram na casa dos 16 mil carros. Toyota com 16.855 (representando 9,6%), Ford com 16.756 (em empate técnico em porcentagem com a Toyota) e Hyundai com 16.101 (ficando em 9,2% do total).

Em 7º (sétimo) lugar a Renault ficou com 7,7% das vendas e um número de 13.372 veículos. Sendo a última do ranking entre as montadoras que venderam mais de 10 mil carros.

Abaixo da marca dos 10 mil, temos a Honda com 8.621 carros, Nissan com 5.368 e Jeep com 4.793, respectivamente do 8º (oitavo) ao 10º (décimo) lugar.

Em ordem classificatória decrescente, a partir do 11º lugar, encontramos a Mitsubishi com 2.126, Peugeot com 2.089, Citroën com 1.811, Kia com 1.276, BMW com 1.128, Mercedes-Benz com 1.067, Audi com 945, Land Rover com 543, Volvo com 301 e Suzuki com 272 veículos, fecham até a posição de número 20.

A partir do 21º colocado até o 30º, conforme tabela divulgada no site da Auto Informe, 1397 carros foram vendidos, mas isso representa um pouco mais que 1% do total. Em 21º vem a Lifan, seguida por JAC, Iveco, Chery, Subaru, Troler, MINI, Porsche Dodge e Jaguar, em último.

Por: Fernando Dias


Projeto ainda está em fase de testes em São Paulo. Aluguel do carro custa de R$ 35 a R$ 210.

A montadora General Motors (GM) lançou no Brasil, um projeto piloto de compartilhamento de carros, o conhecido car-sharing.

O carro compartilhado tem se popularizado como a possibilidade de se alugar um veículo diretamente com o proprietário deste. A negociação é realizada por uma plataforma online, basicamente o que conhecemos por aplicativos, sendo que diversas cidades já aderiram à proposta, como Rio de Janeiro, Fortaleza, Curitiba e São Paulo.

Nesse sentido, a GM busca organizar, por meio do programa nomeado Maven, uma frota de carros da marca. Assim, os usuários poderão alugá-los a qualquer hora que precisarem, como no trajeto para o trabalho em um dia de chuva, por exemplo.

O primeiro país a adotar a medida da montadora foi os Estados Unidos, em janeiro deste ano. Apesar de ainda estar em fase de testes, que iniciaram em março de 2016 na fábrica em São Caetano do Sul, em São Paulo, a ideia já está dando o que falar e já conta com sete unidades do modelo Cruze e, ainda, 800 inscritos.

Até o último mês aproximadamente 220 aluguéis já foram realizados, incluindo sábados e domingos. Para esse compartilhamento, as pessoas precisam pegar e devolver o carro no mesmo local, ou seja, na fábrica. O custo para o usuário que aluga o veículo, até então, é de R$ 35 por hora de utilização, podendo ser negociada uma diária no valor de R$ 210. Já estão inclusos nestes preços o seguro e o combustível.

Para o final deste ano, todavia, é previsto que o serviço se expanda para um condomínio de São Paulo, oferecendo dez carros equipados para a reserva.

A ideia é que as próximas etapas permitam a retirada e entrega em outros pontos da cidade, por meio de parcerias com prefeituras para negociação de vagas que sejam específicas para isso. Ou ainda, desenvolver ainda mais o programa de forma que seja adotado a prática de pegar e entregar o carro onde o usuário bem entender, em qualquer área viável da cidade.

Com isso, nota-se por meio deste programa uma importante estratégia da própria marca de divulgar os seus veículos, podendo este ser um fator decisório no processo de decisão e compra de um carro da GM, por exemplo. A ideia da montadora, portanto, é que em breve, toda a gama de produtos desta esteja incluído no projeto. Além disso, é visível que esta se torna uma opção extremamente viável financeiramente, uma vez que pode-se considerar que os meios de transporte usados pela população, como táxis, cobram normalmente mais pelo mesmo trajeto. Portanto, vale ficar de olho no futuro que nos aguarda em termos de carros compartilhados.

Kellen Kunz


Modelo passou por uma reformulação e ganhou elementos do C4 Picasso e C4 Cactus.

Apesar de ainda não ter previsão de fabricação e produção no Brasil, nesta quarta-feira, dia 29 de junho, a Citroën lançou oficialmente na Europa o seu novo C3, que integra a nova geração do modelo. Com um visual reformulado e bastante original, com elementos do C4 Picasso e do C4 Cactus, o novo veículo apresenta uma grande variedade de customizações de cores, além de equipamentos modernos que conferem um visual ainda mais bonito e, principalmente, praticidade ao carro.

Como forma de achar o seu espaço entre outros compactos como os modelos Peugeot 208 e Renault Clio, entre as modernidades apresentadas pelo novo carro da montadora francesa pode-se citar a câmera no espelho retrovisor interno, que possibilita o registro por fotos da viagem e também a gravação de pequenos vídeos de curta duração para postar nas redes sociais. Além disso, a mesma tem a capacidade de gravar até trinta segundos que antecedem um acidente veicular, além de os sessenta segundos posteriores. Tudo isso é realizado em alta definição e pode ser armazenado, uma vez que o dispositivo possui 16 GB de memória interna.

Além destes, o novo C3 possui entrada e partida sem chave, uma tecnologia que vários carros tem utilizado, chamado de sistema “keyless”. Ainda, o compacto vem com uma tela de 7 polegadas e multimídia.

O motor é da família PureTech, de 1.2 litro e 3 cilindros. Na versão européia, o propulsor aparece nas versões de 68, 82 e 110 cavalos de potência. Porém, ao que tudo indica, os brasileiros poderão esperar aqui uma versão flex com 90 cv.

Já no que se refere às tecnologias de assistência ao motorista, o veículo possui monitoramento de ponto cego, alerta sobre mudança de faixa e controle de saída de rampa. É importante saber que estes fatores tratam de importantes diferenciais, uma vez que tais requisitos, no Brasil, somente são encontrados em carros de segmentos superiores ou de luxo.

Mudaram também as dimensões do novo C3 em relação à geração anterior, tendo 5 centímetros a mais de comprimento, 4 centímetros a mais na largura, 5 centímetros a menos na altura e 8 centímetros na distância entre-eixos.

Quem quiser saber mais sobre o veículo e suas novidades, pode fazê-lo pelo site oficial da montadora (http://www.citroen.com/en/Highlight/17/discover-new-citroen-c3). Ainda é possível ver o vídeo divulgação do carro abaixo.

Kellen Kunz


Fraude é parecida com a da Volkswagen e atinge apenas modelos com motor a diesel.

Depois da Volkswagen sofrer com um dos maiores escândalos automotivos da história por conta da fraude de emissões de veículos a diesel nos Estados Unidos, as autoridades americanas apertaram o cerco contra as montadoras que atuam no país. Dessa vez, as investigações chegaram a General Motors (GM), que também pode ter violado os testes de emissões de carros a diesel que são comercializados nos EUA.

De acordo com informações, um escritório de advocacia de Seattle está processando a GM por fraudar os índices de emissões de poluentes, provocando uma alteração ilegal e intencional nos motores a diesel do Chevrolet Cruze.

Os autores do processo, que está sendo tramitado na Califórnia, afirmam que o veículo estaria emitindo uma taxa de óxido de nitrogênio (NOx) acima do limite permitido por lei. A alegação veiculada ao processo afirma que o Cruze possui um software capaz de manipular a quantidade de óxido de nitrogênio emitido durante os testes de emissões em laboratório.

O caso é bastante similar ao da Volkswagen, que ficou conhecido como dieselgate e gerou prejuízos bilionários para a montadora alemã. No caso da GM, o software irregular altera o comportamento do motor 2.0 turbodiesel para maquiar os números reais de emissões do propulsor de 153 cavalos e 36,5 mkgf de torque.

Os autores do processo anexaram ainda um relatório elaborado por um grupo ambientalista alemão que declara que a marca Opel, filial europeia da GM, possui um software que reduz as emissões de poluentes em velocidades e temperaturas determinadas do motor 2.0 a diesel.

A ação movida contra a General Motors solicita a recompra dos veículos e o pagamento de uma indenização. Em sua defesa, a GM desmente as acusações declarando que elas "são infundadas" e que o motor turbo diesel que equipa o Chevrolet Cruze atende às diretrizes de emissões aplicadas pelo governo norte-americano. Além da Volkswagen e da GM, a Fiat também foi acusada de fraudar o sistema de controle de emissões em seus veículos. A Autoridade Federal de Transporte Motorizado (KBA) acusou a montadora italiana de utilizar um dispositivo que funcionava durante 22 minutos (os testes realizados em laboratório duram, no máximo, 20 minutos) e que reduzia a quantidade de óxido de nitrogênio emitido pelos motores testados.

Por William Nascimento


Confira aqui algumas dicas e cuidados necessários na hora de realizar a manutenção dos pneus de seu carro.

O que a conservação e manutenção adequadas de carros, motocicletas e caminhões têm em comum? A primazia e a atenção especial dada aos seus pneus, uma vez que em todos os veículos, eles são itens que requerem uma série de cuidados fáceis, porém constantes, para que surpresas desagradáveis sejam evitadas. Que o cuidado com os pneus é fundamental para a segurança do condutor e de seus passageiros no veículo em circulação, isso todo mundo sabe. Mas, como fazer sua manutenção corretamente?

1 – A Calibragem dos Pneus:

Para que a estabilidade e o comportamento do veículo não sejam alterados, é necessário que os seus pneus estejam com os níveis de pressão corretos. Pneus com pressão abaixo do indicado e informado pelo manual do dono, fazem com que o carro, a moto ou caminhão consumam mais combustível. Ponto negativo para o meio ambiente e para o bolso do condutor. A execução de sua calibragem é indicada a ser feita a cada duas semanas de rodagem.

2 – O Alinhamento dos Pneus:

Na maioria das vezes, pneus desalinhados se desgastam de forma desigual. A vida útil desse item nessas condições se reduz em até 50%, compromete o sistema de direção e o de suspensão do veículo. Caso esse meio de transporte esteja pendendo mais para um lado do que para o outro em linha reta, é sinal de que seus pneus estão desalinhados.  Cada revisão que é feita requer que os pneus sejam alinhados.

3 – Rodízio de Pneus:

As trações dianteira e/ou traseira dos veículos requerem mais dos pneus que ali se localizam, logo, eles se desgastam mais. Uma boa saída é que eles sejam alternados de posição constantemente, de modo que eles se danifiquem de um modo mais ou menos parecido. O propósito é que a vida útil dos pneus se estenda e que acidentes sejam evitados nas curvas e nas frenagens bruscas.

4 – Cuidados com o Estepe:

Ainda que o estepe seja um item que fique mais tempo dentro dos carros e caminhões, e que os condutores torçam para que ele não precise ser usado, isso poderá acontecer. E quando essa hora chegar, ele deverá está em perfeitas condições de uso. Para tanto, a recomendação é que esse pneu reserva seja calibrado de quinze em quinze dias.

Flávia Alves Figueirêdo Souza


Modelo chega ao Brasil em nova plataforma e com motor 1.4 turbo.

A Chevrolet lançou recentemente uma de suas grandes apostas para 2016. Trata-se do novo Chevrolet Cruze 2017, que chega bastante forte ao mercado brasileiro. O automóvel passou a ser fabricado na Argentina e conta com nova plataforma e motor 1.4 turbo. A nova geração do Cruze está disponível no Brasil em três versões: LT, LTZ e LTZ 2. Todas as opções são de câmbio automático de seis marchas e seu preço inicial é de R$ 89.990, sendo que a versão mais cara custa R$ 107.450.

Como já destacado, o novo Cruze 2017 vem acompanhado do motor Ecotec 1.4 com turbo e injeção direta. Dessa forma, substituindo o 1.8 16V aspirado, que fazia parte da última geração. Além disso, saiba que o novo motor é associado ao sistema start-stop, que tem como principal finalidade a redução no consumo de combustível. Com o novo motor, o Cruze passa a render 153 cv e 150 cv, quando roda com etanol ou gasolina, respectivamente. O principal destaque fica por conta do torque, haja vista os 24,5 kgfm a 2.000 rpm. O câmbio automático de seis marchas também merece destaque, pois é de terceira geração, mais rápido e possui uma suavidade admirável.

Todas essas novidades e mudanças na parte mecânica do Cruze 2017 trouxeram melhoras quando o assunto é o desempenho, bem como o consumo. Segundo a GM, o Cruze turboflex é capaz de acelerar de 0 a 100 km/h em 8,5 segundos. Além disso, o mesmo obteve nota A no quesito de eficiência energética em teste realizado pelo Inmetro.

A nova geração do sedã também teve um aumento em seu tamanho. O Cruze 2017 possui 4,66 metros de comprimento por 1,81 metro de largura, além de 1,48 de altura. Essas novas medidas proporcionaram um aumento no espaço interno. O porta-malas, em contrapartida, ficou menor.

O lançamento da Chevrolet também não deixa a desejar quando o assunto é seu design. O automóvel trás um design mais arrojado e bastante esportivo. Um dos grandes exemplos disso são os faróis rasgados para as laterais, além da caída do teto no estilo cupê. Se comparado com a versão norte-americana, o modelo argentino possui poucas mudanças no visual, como por exemplo, as rodas com acabamento escurecido.

Por Bruno Henrique


Com o novo modelo Honda quer superar as rivais “Audi e Mercedes”.

O novo Civic chega ao Brasil com status de astro. Em Los Angeles, nos EUA, onde a décima geração está sendo mostrada o ‘carrão’, é conhecido como ‘The Civic’ (O Civic) referindo-se ao fato dele ser classificado como o melhor civic dos últimos tempos, tendo superado todas as marcas famosas locais, em vendas.

Sua chegada ao mercado nacional está prevista para o segundo semestre e, quando o salão do automóvel começar, em novembro, já estará no mercado com a mesma proposta. A Honda espera que o sucesso seja repetido e fará tudo para arrancar o emplacamento das alemãs, Audi e Mercedes com seu novo carro.

Civic Premium

Em apenas quatro meses, o carro superou o Audi A3 Sedan, tornando-se campeão de vendas nos Estados Unidos. Conseguindo deixar para trás até os dois líderes em venda do país, Toyota Camry e Honda Accordi. O civic ainda é considerado no país ‘carro de moleque’, mas aos poucos vem mostrando que não é nada disso.

Um dos principais riscos que a marca pode enfrentar com as mudanças, pode ser opreço muito elevado. O Civic Sedan custa cerca de UR$ 18.640 nos EUA, R$ 65,2 mil no Brasil. Enquanto que a versão Touring testada pela UOL carros custa a partir de UR$ 26.550, cerca de R$ 92 mil), contudo esse valor poderá chegar a UR$ 30mil (Próximo de R$ 104 mil) caso ele venha com todos equipamentos opcionais.

Para quem já teve um modelo no passado continua na mira do novo civic ,que tem a missão de manter esses cliente fieis. Segundo a UOL carros esse modelo no Brasil não sairá por menos de R$ 110 mil, mas quem é fã paga o preço.

De cara nova

O Civic Touring está completamente repaginado, mostrando na sua frente uma leve aparência com o novo Accordi principalmente nos faróis full-Led que se encontram através de uma grande barra cromada, em toda a grade da frente.

A modernidade do Civic se exibe em 4,63 m de comprimento por 1,80 m de largura. Mostrando-se mais largo e espaço que o atual, apesar de mais baixo. A Honda conseguiu arrumar os bancos deixando um espaço considerável para acomodar as pernas.

O motor de 1,5 turbo e o câmbio CVT dão ao motorista enorme prazer em dirigir o novo Civic, a capacidade é de 530 litros.

Por Ruth Galvão


Veículo chega com mudanças em seu design e custa a partir de R$ 164 mil.

A Hyundai divulgou o lançamento da sua nova linha automotiva: a Santa Fe. O SUV pode ser comprado com preço promocional de R$ 164,9 mil, na versão para 5 lugares. Além disso, também tem a versão de 7 lugares com retoques visuais e novo acabamento no interior do carro. Uma das principais mudanças na nova linha é a dianteira, com os novos para-choques, grade frontal, farol, além da presença das rodas aro 18” em liga leve, que é oferecida como item de série.

Outra novidade é que a linha Santa Fe ganhou um porta-objeto, que está situado na parte superior do painel. Além disso, o console de teto também foi redesenhado.

A nova linha da Hyundai ainda contempla sistema de assistência na partida em subida e controle de frenagem na descida. Todas as versões possuem ainda um sistema de gerenciamento eletrônico de estabilidade, para auxiliar na segurança, que é o VSM.

O motor da linha da Santa Fe é o 3.3 V6 de 270 cv e 32,4 Kgfm de torque. Além disso, também é oferecido como opcional tração integral ativa (AWD) e TVCC. Além desta novidade, a marca também já está trabalhando na nova linha do HB20 2017. Os rumores é que os novos carros ganharão mudanças nos acabamentos e nos equipamentos tecnológicos. Não são esperadas muitas novidades, uma vez que que a última versão teve muitas mudanças.

Uma das expectativas para a versão de 2017, por exemplo, é o motor de 1.0 3 cilindros, que está sendo desenvolvido na Coreia do Sul, no centro de pesquisa da Hyundai-Kia. Ainda não se sabe a potência do motor e nem quando ele vai chegar ao Brasil, mas na Europa ele surgiu com potência de 120 cavalos e 17,5 mkgf de torque, que resulta em uma economia que pode chegar até 15% se for comparado com o atual, que é de 1.0.

Além disso, os rumores é que o HB20 2017 vai contar com porta-malas de 450 litros e capacidade para suportar até 50 litros de combustível. Em relação ao câmbio, o esperado é que tenha um modelo automático com 6 velocidades, que vai proporcionar leveza e suavidade para a direção.

O que achou das novidades? Comente!

Por Babi


Novo veículo tem autonomia para 750 km e está sendo vendido no Japão por US$ 67 mil.

A fim de atrair novos clientes e ao mesmo tempo mantendo a preocupação com as questões ambientais, a indústria automobilística sempre busca novas alternativas de combustíveis para inserir nos mais diversos modelos de veículo no mundo. A grande e renomada fabricante de veículos automotores Honda deu mais um grande e importante passo no quesito inovação, haja vista que a marca fez o anúncio oficial a respeito do início da comercialização, no Japão, do seu sedã propulsionado por hidrogênio. Este veículo foi batizado com o nome de Clarity Fuel Cell.

O propulsor do Clarity Fuel terá uma potência de 130 kW, valor este que convertido representaria aproximadamente 176 cavalos. A energia deste veículo é gerada por meio da transformação do hidrogênio em eletricidade. De acordo com os dados estatísticos divulgados pela fabricante, o tanque de hidrogênio de alta pressão do Clarity Fuel tem a capacidade de proporcionar ao veículo uma autonomia de incríveis 750 quilômetros. Contudo, o destaque dessa nova aposta da Honda não fica só por conta da excelente autonomia (a qual supera o modelo anterior em 30%), pois o modelo possui ainda um pacote tecnológico bastante recheado com a presença de vários sistemas de segurança, tais como o de alerta de colisão frontal, o de reconhecimento de sinalização e placa de trânsito, o auxiliar para transposição de faixas e o de frenagem automática de emergência.

A parte dianteira deste veículo chama muito a atenção, pois os faróis são compostos por um conjunto de nove projetores de LED cada.

E falando em inovação, o sistema chamado Power Exporter 9000 tem a capacidade de funcionar como um gerador elétrico externo, o qual conforme a necessidade do proprietário pode até mesmo ser acoplado no veículo e fazer a conversão da energia elétrica do carro em corrente elétrica do tipo convencional, o mais interessante é o fato de que esta corrente gerada tem capacidade de manter uma residência de médio porte por um prazo de até seis dias. Para quem ficou animado, este sistema tem o valor de aquisição de US$ 10 mil, ou seja, cerca de R$ 36 mil.

Apesar de estar sendo lançado no mercado japonês, o veículo poderá ser comercializado, segundo as estimativas da Honda, nas concessionárias dos Estados Unidos, bem como na Europa ainda neste ano de 2016. Neste primeiro momento, o veículo está sendo comercializado no Japão e somente para órgãos e empresas estatais pelo preço de US$ 67.800, ou seja, aproximadamente R$ 245 mil.

Por Adriano Oliveira


Edição comemorativa celebra aniversário de 75 anos da marca e chegará para toda a linha de carros.

A marca estadunidense Jeep, que está atualmente produzindo o Renegade no Brasil, fez história no mundo automobilístico e está comemorando nos Estados Unidos da América 75 anos. Com isso, a marca irá realizar o lançamento de uma nova série especial para toda a linha – Cherokee, Compass, Grand Cherokee, Wrangler, Wrangler Unlimited e também o Renegade. O nome será 1941 – Seventy Five Years, que traduzido para o português seria: Setenta e Cinco Anos.

A versão tem grande destaque pelos tons de verde da carroceria (Jungle, Recon ou Sarge), que varia de acordo com o modelo, fazendo referência ao clássico verde-oliva do original jipe Willys MA, além de diversos outros detalhes no acabamento, por exemplo, bancos de couro que possuem o símbolo da série bordado com tecido especial ou em relevo e também as rodas em bronze acetinado.

O lançamento irá ser no Salão de Detroit, que irá ser aberto ao público na segunda-feira, dia 11 de janeiro de 2016, ficando em funcionamento até o dia 24 do mesmo mês. As vendas serão iniciadas durante todo o primeiro trimestre, porém, somente no país norte-americano, portanto, ainda não há previsão para o modelo chegar ao mercado brasileiro.

A Jeep foi inaugurada no mês de julho do ano de 1940, quando o exército americano anunciou aos fabricantes automotivos do país que a corporação necessitava de um carro de leve reconhecimento, para que pudessem substituir os veículos derivados do Ford T e também suas motocicletas. O exército do país convidou um total de 135 montadoras para que as mesmas se candidatassem ao projeto, após ter passado longa lista de especificações a serem seguidas. Entre estas, pedia-se uma carroceria com uma capacidade para transportar 272kg e que possuísse um formato retangular, além de contar com uma distância de até 1,90 m de distância entre-eixos, tração em todas as rodas e com caixa de transferência de duas velocidades, um motor com leve funcionamento que atingisse entre 5 e 80 quilômetros horários, peso bruto total de no máximo 590kg, além de três bancos individuais. As marcas que prontamente assumiram o desafio foram a American Bantam Car Manufacturing Company e a Willys-Overland, sendo logo seguidas pela Ford.

Posteriormente a guerra, a Willys-Overland passou a se chamar Jeep, que acabou modificando o veículo militar em um utilitário off-road.

FILIPE RIBEIRO DA SILVA


Veículo será fabricado em Resende (RJ) e irá concorrer com modelos como Duster e EcoSport.

A montadora Nissan anunciou na última segunda-feira, dia de 4 janeiro, que irá produzir o SUV Kicks no Brasil, na fábrica da cidade de Resende, no Rio de Janeiro. Será o primeiro modelo do tipo da marca no país. Conforme Carlos Ghosn, o CEO da companhia, a produção deste modelo irá gerar 600 novos postos de trabalho na fábrica, além do investimento de R$ 750 milhões.

O chefe executivo ainda afirmou que o Kicks irá ser um modelo global, mas a fábrica brasileira será a primeira a produzi-lo. A mesma será responsável pelo abastecimento dos outros mercados pertencentes a América Latina.

Segundo o presidente, a data de lançamento não será divulgada, porém ela já está definida. Além disso, também não foram divulgadas as informações técnicas, porém, conforme algumas especulações, o modelo deverá ser equipado com um motor 1.6 de 16 válvulas e de 111 cavalos, o qual já equipa o March e o Versa.

O índice de nacionalização do SUV Kicks no início de sua produção irá ser de 74%, segundo François Dossa, o presidente da Nissan no Brasil.

Para se ter uma ideia, o March hoje possui 68% de seus componentes fabricado no Brasil e com o objetivo de chegar a um valor 80%.

A Nissan o definiu como crossover, modelo este que é uma mistura de características de diversos segmentos como minivan, utilitário esportivo e sedan. O Kicks irá concorrer diretamente com veículos lançados recentemente, como Jeep Renegade, Honda HR-V,  Renault Duster e Ford EcoSport.

Este é um momento estratégico para a montadora, que tem uma meta de atingir 5% do mercado até o final deste ano. No ano de 2015 passaram de 2,1% para 2,5%, o que não foi considerado um ano muito bom para a Nissan, segundo Ghosn.

Outra grande meta da Nissan é chegar ao pódio e ficar entre as três montadoras que mais vendem veículos na América Latina.

FILIPE RIBEIRO DA SILVA


Carro ganhou um design mais esportivo e será lançado em janeiro de 2016.

O novo Honda Accord foi apresentado oficialmente nesta última quinta-feira, dia 17 de dezembro de 2015. O veículo passou por uma reestilização e chegará às concessionárias da marca para comercialização a partir do mês de janeiro. O sedã de luxo, dessa vez ficou com um design muito mais esportivo e será vendido em uma única versão, a qual será equipada com o propulsor 3.5 V6 que é capaz de produzir uma potência de 280 cavalos.

Apesar de o preço ainda não ter sido revelado, o sedã realmente irá chamar a atenção de muitas pessoas, haja vista que nessa nova geração ele possui até internet a bordo.

O principal destaque deste sedã de luxo ficou por conta do seu visual, que ficou bastante elegante após a inserção de uma nova frente que é composta pelos novos capô, vincos mais acentuados no para-choque, conjunto óptico inédito com a presença de faróis e luzes de neblina totalmente em LED, além da nova grade cromada. Também foram colocadas novas rodas de face diamantadas e a parte interna foi pintada de preto, rodas estas que têm tamanho de 18 polegadas. Na parte de trás também ocorreram algumas mudanças, tais como as lanternas, que passaram a contar om iluminação em LED, um aerofólio também foi inserido na tampa do porta-malas, bem como o novo desenho do para-choque.

Já na parte interna, as novidades são inúmeras e com certeza irão agradar muito aos consumidores, pois foram colocadas novas pedaleiras esportivas confeccionadas em alumínio com iluminação, detalhes que imitam madeira e acabamento com revestimento na cor preta. No quesito tecnologia o carro também não deixa e nem poderia deixar a desejar, tendo em vista que vem cheio de mimos e funcionalidades para facilitar a vida dos usuários e também proporcionar maior conforto.

Com relação à motorização, a Honda preferiu manter o propulsor i-VTEC 3.5 V6 de 24 válvulas, que é capaz de gerar uma potência de 280 cavalos, juntamente com o câmbio automático de seis velocidades, porém, agora com a presença de aletas atrás do volante para realização de mudanças das marchas.

Essa grande novidade da Honda para o ano de 2016 será ofertada com três anos de garantia e sem limite de quilometragem.

Por Adriano Oliveira


Veículo chegará ao Brasil em março do próximo ano e custará a partir de R$ 264 mil.

A grande e renomada fabricante de veículo automotores Jaguar fez o anúncio nesta última terça-feira, dia 08 de dezembro de 2015, a respeito da chegada da nova geração do sedã XF aqui no Brasil.

O veículo será disponibilizado nas concessionárias da marca de todo o país até o mês de março de 2016. Ele terá três versões, sendo estas as seguintes: R-Sport, Prestige e S, sendo que as duas primeiras serão equipadas com um propulsor 2.0 litros turbo e a versão S contará com um motor 3.0 supercharged dotado de seis cilindros em V, propulsor este que é o mesmo utilizado no superesportivo F-Type.

O novo Jaguar XF, além de chegar com um visual mais moderno, ele traz como principal destaque a sua plataforma de carroceria rígida e leve, integral ou parcialmente confeccionada em alumínio, detalhes estes que fazem com que o veículo seja 28% mais rígido do que o anterior. Além da rigidez, a estrutura desse carro traz ainda, em pontos estratégicos e específicos, isolamentos duplos, o que faz com a sua condução seja ainda mais silenciosa. A carroceria deste sedã possui 75% de sua estrutura feita de alumínio. Já na suspensão este novo Jaguar utiliza o sistema Double Wishbone na parte da frente e o sistema Integral Link na parte traseira.

Outros atrativos trazidos por este carrão são: sistema de vetorização de torque por frenagem, direção elétrica, controle adaptativo de cruzeiro com a presença de assistência em fila, monitoramento da condição do condutor, frenagem autônoma de emergência, dentre outras tecnologias embarcadas de última geração.

A versão Prestige será comercializada por R$ 264.700. Já a versão intermediária, a R-Sport, será comercializada por R$ 288.000. Por fim, a versão topo de linha desse supercarro custará nada mais nada menos que R$ 381.100.

Apesar de todas as expectativas para o início da comercialização deste novo Jaguar no mercado nacional, a verdade é que devido aos valores este será um veículo para poucos aqui no Brasil.

Por Adriano Oliveira


Nova Geração do Veículo chegará ao país em duas versões e custará de R$ 144 mil a R$ 151 mil.

Após ter sido feito a confirmação pela Volkswagen a respeito do lançamento da nova geração do Passat aqui no Brasil, alguns detalhes a respeito deste veículo já estão sendo divulgados.

Essa nova geração do Passat será fabricada na Alemanha, na unidade de Emdem. O veículo chegará aqui no país com duas versões de acabamento: a Comfortline e a Highline, sendo que estas custaram respectivamente R$ 144.500 e R$ 151.300.

O alto nível de tecnologia que a Volkswagen colocou nessa nova geração do Passat é um dos fatores que irão chamar a atenção de muitos consumidores, sendo que o principal foco da montadora com o lançamento deste veículo é o de concorrer com rivais de peso no mercado, tais como o Audi A3 Sedan 2.0 TFSI e A4, o Mercedes-Benz Classe C e BMW Série 3, veículos estes que são de luxo do mesmo modo que o Passat, porém, contam com status de suas respectivas marcas.

O novo Passat chegará ao Brasil com dez opções de cores, sendo estas as seguintes: Azul Havard, Azul Night, Bege Sund, Branco Puro, Cinza Indium, Marrom Oak, Prata Tungstênio, Prata Sargas, Vermelho Crimson e Preto Mystic. Já as cores de revestimento dos assentos terão como opções o marrom, o bege ou o preto.

A principal aposta da Volkswagen para entrar com força total na briga dos sedãs premium aqui no país é oferecer um veículo que seja bem equipado já de série e com poucos opcionais e é nessa proposta que chega o Passat. Para confirmar esta perspectiva, os únicos opcionais disponibilizados para os clientes neste veículo são o teto solar elétrico (que custa R$ 5.400) e o pacote premium (que é composto pela integração de uma tela de oito polegada sensível ao toque e o sistema de entretenimento Discover Pro).

A parte interna deste novo Passat ficou ainda mais sofisticada, haja vista que o seu interior foi projetado com materiais de excelente qualidade, um exemplo disso foi a inserção da textura emborrachada nos elementos de metal.

Com relação à motorização, o veículo chegará com um propulsor 2.0 turbo, o qual será capaz de produzir uma potência máxima de 220 cavalos a 4.500 rpm.

Por Adriano Oliveira


Novo veículo será lançado na Índia e busca reconquistar o público consumidor da montadora.

A montadora indiana Tata Motors divulgou pela primeira vez fotos de seu novo carro compacto, o Zica. O compacto é parte de uma empreitada da empresa para aumentar sua presença no mercado de veículos para passageiros na Índia.

No Brasil o nome Zica seria possível motivo de piada, mas na Índia ele seria uma abreviação para Zippy Car, algo que significaria carro animado ou cheio de energia em português. Inicialmente o nome deveria ser Kite (pipa em português), mas a empresa decidiu troca-lo.

O design lembra um pouco o Indica, também da Tata Motors, de quem ele é sucessor, porém, ele é mais moderno e inovador, parte de um esforço por parte da empresa para renovar também seu design. O motor também será novidade, o Zica será movido por um motor de 1.05 l e três cilindros à diesel, com 140Nm de torque, ele é uma evolução do motor 1.4l à diesel da Tata e estimativas dizem que deve rodar cerca de 25km/l. Uma versão a gasolina também estará disponível para o mercado indiano com um motor de 1.2l, o mesmo usado no sedã da Tata, o Zest.

Na Índia a Tata motors andou perdendo parcelas do mercado para outras montadoras como Honda e Toyota no setor de veículos para passageiros, por isso começou a investir em novos projetos para reconquistar os compradores. Essa nova linha inclui carros como o Zest, o primeiro modelo novo da Tata em quatro anos. Os veículos foram criados para mudar a percepção que os compradores possuem da Tata e sua relação com pouca qualidade. A nova ideia é transformar a Tata numa marca com alto desempenho, qualidade e conforto, para assim conquistar novos clientes. Foi para conseguir isso que a Tata Motors contratou o jogador Lionel Messi, ele é embaixador da marca e terá como uma de suas funções promover o Zica.

Por Gizele Gavazzi


Modelo está com um visual mais moderno e ganhou novo pacote de itens.

Há alguns anos a briga dos veículos automotores sedãs médios, aqui no mercado brasileiro, tem sido bastante acirrada. Nesta perspectiva, na nova geração desses sedãs não poderia ser diferente.

Após a renomada fabricante Honda ter confirmado os primeiros passos do Civic 10 (veículo este previsto para chegar ao mercado brasileiro até o segundo semestre do ano de 2016) e da promessa da Chevrolet em lançar o Novo Cruze no próximo ano, agora é o momento da fabricante japonesa Nissan anunciar a atualização do Sentra, veículo lançado mundialmente no ano de 2012.

Como a concorrência no setor é bem grande, ainda correm por fora o recém modificado Peugeot 408, o Ford Focus Fastback, o Renault Fluence, o Citroën C4 Lounge e o Volkswagem Jetta.

Este novo Sentra foi anunciado como modelo 2016 no Salão de Los Angeles (EUA), sendo que chegará às lojas Norte Americanas no final do mês de Dezembro com um visual mais arrojado e interessante, visual este que seguirá os preceitos da nova identidade da Nissan.

As primeiras novidades ficarão por conta da substituição daquela antiga carinha oriental e cansada que possuía grandes pontos de LED, que faziam referência aos modelos chineses e que agora foi substituída por guias de luz e faróis de xénon, detalhes estes comumente encontrados nos veículos europeus.

Para atrair os consumidores, as mudanças não ficarão somente na parte externa, tendo em vista que o veículo foi contemplado com um novo pacote eletrônico composto pelos seguintes acessórios: freio automático nas versões mais caras, alertas de trafego cruzado e ponto cego na traseira, bem como piloto automático inteligente.

Nesta primeira análise, os equipamentos e o visual deste novo Sentra conseguem responder a altura o seu principal concorrente aqui no Brasil, que deverá ser o novo Honda Civic. A única notícia desanimadora a respeito deste novo Sentra é que fontes ligadas à Nissan já garantiram que por enquanto a fabricante não possui planos imediatos para a inserção deste veículo no mercado nacional.

Por Adriano Oliveira


Veículo da Honda ganhou cinco estrelas nos testes realizados pela Latin NCAP.

O Latin NCAP, programa que avalia a segurança de veículos na América Latina e no Caribe, aponta que o Honda HR-V é o carro com maior nota em segurança produzido no mercado brasileiro. Ele teve a maior pontuação e se iguala ao Jeep Renegade.

O SUV da Honda obteve cinco estrelas para proteção a adultos e crianças. A nota para a segurança de ocupantes dos bancos da frente foi 16,70 do total de 17. O seu grande concorrente, o Jeep Renegade, obteve 16,12.

O Latin NCAP apontou que o HR-V deixa o passageiro em boa segurança em um impacto frontal com uma velocidade de 64 km/h. O motorista teria uma maior fragilidade nesse acidente na região do peitoral. No teste feito para as crianças, o modelo da Honda teve a pontuação de 43,30 do total de 49. Ele ficou atrás do Renegade, o qual teve pontuação de 43,54. Quando aconteceu a simulação, os cintos do HR-V conseguiu evitar que ocorresse uma movimentação excessiva das crianças na faixa etária dos três anos e de bebês de até 18 meses.

O Honda HR-V teve o seu lançamento em março do ano de 2015 e é o líder de vendas do mercado. São 38.631 unidades que foram comercializadas até o mês de outubro. Em uma soma das pontuações, o modelo da Honda teve o total de 60 pontos. O Jeep Renegade teve 59,66.

Segurança do Ford Ka Sedã:

O Latin NCAP também fez testes com o modelo da Ford. O modelo sedã Ka+ não contou com um resultado negativo. O veículo da nova geração do compacto obteve quatro estrelas para a segurança com adultos e três para as crianças. Os pontos foram perdidos devido a não possibilidade de desativar o aribag do passageiro para a instalação da cadeirinha, a falta do cinto de três pontos para a posição central do assento traseiro, entre outros.

Acesse mais detalhes no site do Latin NCAP: www.latinncap.com.


Renault apresenta as primeiras imagens do modelo Talisman. Início das vendas do carro deverá acontecer no final de 2015.

A Renault apresentou oficialmente nessa segunda (6) seu novo modelo sedã de luxo, o Talisman. O novo sedã deverá substituir o Renault Laguna, que está presente há 21 anos no mercado automobilístico. O novo modelo também deverá substituir o Renault Latitude, que não foi comercializado no Brasil.

Durante a semana passada, a montadora francesa Renault divulgou um teaser para promover seu novo sedã de luxo, nomeado Talisman. O novo sedã possui esse nome em relação ao poder e segurança que o modelo garante ao motorista. Além disso, a palavra possui fácil pronuncia e entendimento em todos os continentes.

O Talisman possui as seguintes dimensões: 4.85 m de comprimento, 1,87 m de largura e 1.46m de altura. Segundo a Renault, a distância entre os eixos é de 2,81 m, que garante melhor desempenho para manobra sendo melhor do que o modelo Laguna.

O modelo possui base aerodinâmica, já que é fabricado sobre a plataforma CMF da Renault, que garante uma melhor dirigibilidade e desempenho nas pistas.  Segundo a empresa, o modelo promete ser a melhor opção no segmento.

O design frontal moderno traz grades e faróis em LED, semelhante ao modelo Renault Espace. Já o interior do veículo conta com bancos revestidos de couro, que se ajusta a dez diferentes posições. As versões premium do modelo terão sistema multimídia R-Link 2 (com display de 8,7 polegadas) e sistema de áudio Bose. Já as versões de entrada terão sistema multimídia e display de 4.2 polegadas.

O Renault Talisman terá uma versão especial, Initiale Paris, que estará disponível na cor preto ametista, exclusivo para a versão de luxo. Além disso, a versão possui rodas de liga leve de 19 polegadas, revestimento interno completo em couro Nappa, carpete especial, entre outros itens.

O modelo deve contar com cinco opções de motorização, sendo duas movidas à gasolina, gerando 150 cv e 200cv. As opções a diesel geram 110 cv, 130 cv e 160 cv biturbo. O câmbio de dupla embreagem e sete velocidades está disponível para opções alimentadas a gasolina. Já os motores alimentados a diesel tem opção de câmbio manual de seis velocidades ou dupla embreagem de sete velocidades.

Antes mesmo de seu lançamento, o Talisman é considerado um rival em potencial para o modelo Passat da Volkswagen, Mondeo da montadora Ford e Mazda 6. O Renault Talisman deverá estar à venda até o final de 2015. 

Por Wendel George Peripato





CONTINUE NAVEGANDO: