Superesportivo poderá usar o motor BMW turbo de seis cilindros

Previsões apontavam que a Toyota poderia produzir uma versão híbrida do novo Supra, que poderá ser disponibilizado em 2017. Entretanto, a teoria já inicia a ser desconsiderada, já que o superesportivo poderá usar o motor BMW turbo de seis cilindros.

Segundo a revista Car and Driver, a variante híbrida que é estipulada para o novo BMW Z4, também será desconsiderada pela parceira alemã. Desta forma, o veículo poderia possuir motor de quatro e seis cilindros. A perspectiva é que o Toyota Supra, com base no FT-1 Concept, já esteja presente para comercializações em 2018.

Uma das disponibilizações mais aguardadas e também mais bem armazenadas da Toyota em 2015, a nova geração da Hilux já possui data para ser divulgada ao público. O novo modelo será anunciado no continente asiático na metade de junho. Totalmente reorganizada, o veículo implementa um novo design e poderá ter progressos consideráveis, sobretudo, em relação ao comportamento dinâmico. O início no território brasileiro poderá ocorrer ainda em 2015.

A próxima Hilux será produzida sobre uma plataforma totalmente nova e irá implementar os conceitos de visual mais atuais da Toyota. O modelo terá vantagens no refinamento e possuirá nas versões com valores maiores luzes diurnas de LED, vários detalhes cromados e faróis com projetor. A parte interior poderá ter progressos significativos como mais espaço para os ocupantes do banco de trás e acabamento mais perto do de veículos de passeio.

Os recentes motores poderão ser otimizados, com injeção direta no exemplo do recente 2.7 flex, e com mais eficácia no exemplo do recente 3.0 turbodiesel. Outro progresso aguardado poderá acontecer no câmbio automático, com o fim da caixa de somente quatro velocidades da Hilux flex atual, onde a diesel possui cinco velocidades. É importante recordar que, embora, o fim da carreira, a Hilux recente ainda está próxima da líder Chevrolet S10 nas comercializações, ultrapassando a concorrente em alguns meses.

Por Felipe Couto de Oliveira

Toyota Supra

Toyota Supra

Toyota Supra

Fotos: Divulgação


Cada vez mais modelos de veículos híbridos e elétricos têm surgido no mercado, principalmente para atender a demanda de países europeus e asiáticos. Os modelos são fabricados por montadoras japonesas, taiwanesas, americanas, alemãs, francesas, enfim, a maioria delas querem abocanhar uma fatia desse bolo que só cresce. As chinesas também estão no páreo, mas a pouca credibilidade de alguns modelos anteriores embarricam o mercado americano.

A montadora BYD não vê isso como problema e acaba de lançar o modelo sedan Qin, um modelo ecologicamente correto no que diz respeito o combustível. Segundo a BYD, uma das maiores da  China, o Qin é um híbrido  que consegue percorrer 62,5 km por litro de combustível. Se for verdade, o modelo paga seu valor em combustível em pouco tempo, mas vamos às características principais do veículo: o Qin tem um motor a gasolina 1.5 turbo e outro elétrico como muitos outros híbridos, que gera 291 cv e torque de 24,5 kgfm. Até aí nada de surpreendente, nem mesmo a aceleração, que faz o carro chegar aos 100 km/h em 5,9 segundos e a atingir a velocidade máxima de 185 km/h.

O que impressiona é o sistema desenvolvido pela empresa, que no modo “híbrido econômico” modifica o funcionamento do motor, melhorando seu desempenho. Nele o carro redireciona a energia que seria dissipada e a transforma em energia cinética, reaproveitando assim para recarregar a bateria. A empresa não informou do que são feitas as baterias, somente que ela pode percorrer 44 quilômetros na carga máxima.

O Qin, que será lançado na China ainda no primeiro semestre de 2014, apresenta sistemas de manobras por controle remoto, que pode ser acionado fora do veículo. O motorista pode inclusive trazer o carro para perto dele.

Ainda não há previsão de lançamento do modelo no Brasil, que seria bem aceito, tendo em vista o preço da gasolina.

Por Robson Quirino de Moraes


As tecnologias “verdes” que procuram garantir carros com menores níveis de emissão de poluentes e menores níveis de consumo de combustíveis também irão chegar ao seleto universo das super máquinas, como os carros superesportivos.

Algumas montadoras tradicionais já fazem projetos neste sentido e esta também parece ser a estratégia da montadora Ford para o ressurgimento do seu superesportivo, o Ford GT. De acordo com sites especializados a montadora projeta a próxima geração do esportivo com conjunto híbrido de motorização.

Conforme o site inglês Auto Express o novo Ford GT terá um propulsor elétrico trabalhando em conjunto com um motor supercharged V8 que produzirão um total de força acima de 600 Cv de potência. E para completar, o novo superesportivo deverá ter tração nas quatro rodas com o motor elétrico alimentando o eixo dianteiro do carro.

Com desenho e DNA de carros de corridas, o Ford GT tem as linhas clássicas de um superesportivo: desenho aerodinâmico, linhas arrojadas e presença que remete as lendárias corridas do automobilismo mundial. Sua fabricação terminou em 2006 e agora resta saber se a nova geração, além dessa adequação aos novos tempos da indústria do automóvel, trará também novidades estéticas e de visual que possam alterar seu desenho superesportivo.

Por Mauro Câmara


Que os carros produzidos pela Chrysler têm tradição, beleza, luxo, requinte e sofisticação todos sabem. Assim como sabem também da capacidade de consumo dos mesmos.

Há uma boa notícia para aqueles que têm atração pelas linhas elegantes, pelo design de classe e pela imponência do visual de um modelo como Chrysler 300, por exemplo, mas que também levam em consideração a questão ambiental. O site Automotive News informou que o executivo da montadora, Sergio Marchione, divulgou a notícia de que o modelo 300 terá em 2013 uma versão híbrida.

Nenhuma outra informação sobre as características técnicas do modelo híbrido foi divulgada, além de que o câmbio deverá ser um automático de oito marchas.

A notícia é ótima para os consumidores e para o planeta. Representa mais uma montadora de ponta, desta vez de carros luxuosos e sofisticados, que vê na produção de carros híbridos uma forma de reduzir emissões de poluentes e o consumo de combustíveis, aliando classe e requinte à consciência e responsabilidade.

Por Mauro Câmara


A consciência ecológica está chegando firme nas montadoras e agora além de modelos convencionais, como sedãs e compactos, o conceito de carro ecológico está chegando à linha dos esportivos. Pelo menos esta é a notícia do Blog BMW que dá conta que a montadora alemã irá produzir, com previsão de chegada ao mercado em 2013, um esportivo híbrido que deverá se chamar I8.

Este carro deverá ser o modelo de produção do carro conceito, que foi apresentado no Salão do Automóvel de São Paulo no ano passado, o Vision EfficientDynamics. E pelo carro conceito terá tudo para ser um esportivo sedutor, de linhas agressivas e charme futurista. O conceito possui uma frente de tirar o fôlego e deixar qualquer James Bond interessado, com suas lanternas rebaixadas e sua grade ultramoderna.

Quanto à propulsão, além do fato de ser uma opção mais limpa a esportivos normais que geram mais emissões de poluentes, o seu conjunto híbrido, de acordo com a montadora, será potente, eficiente e econômico. De acordo com seus dados o consumo médio do seu propulsor 1.5 turbodiesel de três cilindros será de 31 Km/l. O conjunto propulsor será ainda composto por outros dois motores elétricos gerando uma potência total de 365 CV. E todo este conjunto poderá acelerar o esportivo de 0 a 100 Km/h em apenas 4,8 segundos. E até o preço será razoavelmente atraente: a BMW situou o valor deste novo esportivo em cerca de R$ 332.000 ou 150.000 euros.

Por Mauro Câmara


A tendência no setor de veículos automotores é a de substituição dos antigos motores movidos a etanol ou gasolina pelos modelos elétricos e em muitos casos, confecção de carros híbridos. Em janeiro, o Sonata, da Hyundai, será lançado no mercado estadunidense na versão híbrida.

De acordo com o Car Magazine, um exemplar equipado com motor elétrico e outro de combustão chegará ao público por R$ 45 mil (US$ 26.545). Um modelo mais completo será comercializado por R$ 53.590,00 (US$ 31.545).

A Hyundai assinala que o sedã virá aparelhado com motor 2.4 litros (a combustão) de 171 cavalos, associado, pois, a uma transmissão automática de seis velocidades e propulsor elétrico nutrido com bateria de íon-lítio de 30 kW. A fabricante indica que se unindo ambas as potências é possível atingir 209 cavalos.

Por Luiz Felipe T. Erdei


O poluído meio-ambiente tem incitado empresas de todo o mundo a adotar uma série de medidas para diminuir a emissão de gases nocivos à atmosfera. O setor de veículos automotores, um dos atentos a esse fato, procura se valer da conscientização mais ampla da população e anunciam, quase diariamente, novidades.

A unidade de Michigan da Ford, situada no norte dos Estados Unidos, foi reaberta recentemente e aposta justamente nessa disposição. Com investimentos de US$ 550 milhões, a fábrica será responsável por produzir exclusivamente um único exemplar, o Focus.

Possivelmente, de acordo com o Car Sale UOL, os primeiros modelos serão dispostos nas concessionárias em meados do primeiro trimestre de 2011, por meio da versão elétrica, e a partir de 2012 com a híbrida e a híbrida plug-in (que permite ao condutor recarregar a energia do carro por meio de uma tomada comum).

A Ford aproveitou para anunciar estabelecimento de convênio com as companhias Xtreme Power e Edison no intuito de implementar um sistema de proveito da energia solar, com capacidade para motivar 500 kW de eletricidade.

Por Luiz Felipe T. Erdei


Um carro de proposta claramente esportiva com conceito de mobilidade ecologicamente sustentável, aliando agressividade esportiva, linhas arrojadas, desenho moderno e aerodinâmico com propulsão híbrida para gerar menos poluentes e ser mais econômico, este é o Honda CR-Z. Nesta trilha, visando o futuro, a Honda acelerou com o CR-Z. Mas enquanto no Japão o modelo foi eleito o carro do ano, nos Estados Unidos, onde a montadora esperava vender 15 mil unidades em um ano, em cinco meses vendeu apenas 4 mil. E isto já fez a Honda pensar em alterações no modelo, conforme matéria do site Carsale UOL.

Inicialmente fabricado com motorização híbrida composta de motor a gasolina, quatro cilindros de 1.5 Litros e um motor elétrico que produz o equivalente a 14CV, a Honda, de acordo com a matéria citada e informações da revista Autocar, já produz uma versão com motorização a gasolina para tentar alavancar as vendas do CR-Z nos Estados Unidos. Seriam duas versões: uma padrão com 160 Cv de potência e outra mais potente com capacidade de produção de 200CV.

Além dos Estados Unidos, onde a agência de Proteção Ambiental diz que o CR-Z hibrido com câmbio manual é capaz de rodar na cidade 13 quilômetros com um litro de gasolina e na estrada sua média é de 15,6 Km/l, o modelo é vendido no Japão, Europa e África do Sul.

Por Mauro Câmara


O recém anunciado Audi A6, novo sedã da montadora alemã, já vai ganhar uma versão ecológica e economicamente correta. A montadora, que confirmou a fabricação de uma versão híbrida para os próximos anos, conforme matéria do site Revista Autoesporte, que divulgou mais detalhes desta nova versão do novo sedã. Inclusive confirmando a apresentação oficial da nova geração do modelo para o salão do automóvel de Detroit, Estados Unidos, em Janeiro.

A versão híbrida do charmoso A6 em sua quarta geração contará com um motor 2.0 turbo com capacidade de geração de 211 CV e o propulsor elétrico irá gerar 46 CV e conforme a matéria citada será instalado junto ao conversor de torque do câmbio de oito marchas automático.

As baterias de Íon Lítio usarão parte do fluxo de ar condicionado original para a refrigeração e serão instaladas próximas do porta malas. Somente com o uso do propulsor elétrico sustentado por estas baterias a versão hibrida do A6 atingirá mais de 100 Km/h. As baterias são recarregadas nas desacelerações e o painel terá um mostrador para monitoramento destas recargas.

Com esta configuração híbrida, o A6 pode acelerar de 0 a 100 km/h em somente 7,3 segundos, atingindo a velocidade máxima de 238 Km/h.

Por Mauro Câmara


O MMR City será híbrido termoelétrico, e será montado somente com peças nacionais. As versões disponíveis serão a picape, furgão e van. A carroceria será feita de plástico reforçado com fibra de vidro e curaurá, que é uma planta parecida com o abacaxi, e terá estrutura e chassi tubular.

Os MMR terão tração traseira, com motor na traseira, e as doze baterias ficarão sob os bancos, baterias tracionárias de chumbo-ácido. Na dianteira ficará o estepe e o gerador movido a álcool, pois o álcool é um combustível que não está sujeito a envelhecimento, como a gasolina, além de ser melhor pela questão ambiental, pois não aumenta  a quantidade de gás carbônico na atmosfera, e sim apenas devolve o que a cana retirou dela.

Só com a carga das baterias, o MMR City poderá percorrer apenas 100 km e atingir a velocidade máxima de 100 km/h. Isto é o que o motor elétrico de 10 cavalos possibilitará para esse carrinho urbano de 650 kg. Ele mede apenas 2,6 metros de comprimento. Com o motor a álcool, a autonomia do MMR City será de até 300 km.

Fonte: Quatro Rodas

Por Gerson de Morais





CONTINUE NAVEGANDO: