A Hyundai irá lançar o seu modelo elétrico no Brasil em breve.

Se você gosta da ideia de economizar combustível e ao mesmo tempo ser responsável pela sustentabilidade do planeta, você pode apostar num carro híbrido ou totalmente elétrico.

Os carros híbridos oferecem dois motores: um motor a combustão (normalmente a gasolina) e um motor elétrico. Em veículos de pequeno porte o motor elétrico auxilia o motor à combustão, possibilitado a diminuição de emissão de gases poluentes e ajudando o bolso do motorista, pois há enorme economia de combustível. Também há os chamados “híbridos completos”, onde a movimentação do carro fica a cargo do motor híbrido e o motor à combustão fica responsável pela movimentação de um gerador, que carrega as baterias.

O primeiro modelo de carro híbrido produzido e vendido em larga escala foi o Toyota Prius, que começou a ser vendido há 21 anos (em 1997), tornando-se o híbrido mais famoso e vendido do mundo. Mas a concorrência chegou em outros modelos.

A montadora sul-coreana Hyundai vai se juntar à Toyota (que tem seu Prius), à Ford (que tem seu Fusion Hybrid) e outras montadoras, lançando o Ioniq no Brasil.

Há 2 anos (em 2016) vimos o Hyundai Ioniq híbrido ser exibido no Salão do Automóvel aqui no Brasil. Mas esse ano a coisa foi diferente. Em 2018 vimos a versão totalmente elétrica em exibição.

Carros totalmente elétricos não possuem motores à combustão, não emitindo nenhum gás poluente e sendo quase totalmente silenciosos. Eles precisam ser frequentemente carregados, já que não são movidos a gasolina.

Diferentes do que ocorre com o Toyota Prius, o Hyundai Ioniq tem a opção híbrida e a opção totalmente elétrica em um único modelo. Ainda há a opção Hybrid Plug-in. O modelo já tem promessa para chegar ao Brasil mas as datas ainda não foram definidas.

Especificações Técnicas

Com baterias de lítio de 28 KWh, a versão totalmente elétrica tem uma autonomia de até 280 km, de acordo com a Hyundai. Ou seja, você pode dirigir até 280 quilômetros entre uma carga e outra da bateria. Para se ter uma ideia, a viagem entre a cidade de São Paulo e a cidade de Santos, no litoral paulista tem entre 60 e 90 km (dependendo do ponto da cidade), sendo possível uma viagem de ida e volta entre as duas cidades com apenas uma carga das baterias do Hyundai Ioniq.

O motor elétrico tem 90 quilowatts (120 cavalos), é capaz de alcançar uma velocidade de 165 km/h. Se o motorista conectar o carro a um carregador do tipo rápido (de 100 kW), a carga já vai estar quase completa (mais de 80%) em 25 minutos.

Detalhes do Carro

Os faróis do veículo sul-coreano são do tipo LED. O painel do carro tem uma tela TFT de 17 centímetros de diagonal e é compatível com Google Android Auto e Apple Car Play.

Preços

Ainda não foi definido nada em relação aos preços, mas especula-se que o carro possa chegar próximo dos R$ 200 mil. Nos Estados Unidos o modelo top de linha chega a custar US$ 37.000 (R$ 142.968). Mas nos Estados Unidos há uma política de crédito do governo federal para encorajar a compra de híbridos e elétricos. Nesse caso, o carro sairia de US$ 37.000 (R$ 142.968) para US$ 29.500 (R$ 114.000).

No Brasil ainda não há incentivos federais para compra de carros híbridos e elétricos, mas há incentivo no Estado de São Paulo, como devolução de 50% do IPVA de carros híbridos e elétricos que não custem mais de R$ 150 mil.

Para informações completas sobre o Hyundai Ioniq híbrido, visite este link www.hyundaiusa.com/ioniq-hybrid/specifications.aspx?%20specs e veja informações sobre o veículo. Lá na Terra do Tio Sam o veículo pode ser encontrado em sua versão mais simples por US$ 22.400 (R$ 86.571).

Por Bruno Rafael da Silva

Hyundai Ioniq 2019

Hyundai Ioniq 2019


Modelo elétrico chama a atenção por seu tamanho e por poder ser testado no estacionamento do shopping onde está exposto.

Inicialmente, o automóvel elétrico está sendo exposto em um shopping de Fortaleza, chamado de ZhIdou EEC L7 e-80, ele atrai a atenção das pessoas que passam pelo local pelo seu tamanho e pela possibilidade de realizar testes no mesmo. Após um rápido cadastro a pessoa pode pilotar o carro pelo estacionamento do shopping.

De acordo com o público que teve a chance de andar no minicarro elétrico, ele foi considerado um veículo bastante prático e perfeito para se locomover pela grande cidade, tornando fácil a localização de vagas e sendo útil principalmente para quem vai para o trabalho. O veículo faz parte do sistema de carros elétricos compartilhados que está em implantação na cidade.

O edital referente a este projeto já havia sido lançado desde janeiro, exigindo da empresa responsável que se implantasse no sistema apenas a utilização de carros elétricos. Além do Zidhou, a empresa também está usando o BYD e6, mais espaçoso e com capacidade de levar 5 pessoas. Os dois são importados da China e operam com placas verdes de teste, pelo fato de não serem ainda homologados no Brasil.

O engenheiro da prefeitura de Fortaleza, Sued Lacerda, que é o responsável pelo projeto explica que a fase de testes serve para demonstrar a população o projeto e para a inserção e familiarização progressiva do mesmo em relação aos modelos e a forma de funcionamento do sistema.

Boa parte da população já vê o projeto como algo bastante positivo e se mostra curiosa e interessada para acompanhar o desenrolar do projeto e adquirir mais informações no estande de exposição. O projeto já conta com 200 cadastros e com usuários satisfeitos que chamam a atenção para os maiores diferenciais do carro, que são o silêncio e a automaticidade do veículo.

Em agosto, começa segunda fase do serviço, chamada de operação assistida e que consiste na instalação de cinco estações e na disponibilização de sete carros. Visando ampliar a extensão do projeto e o suporte dado aos usuários, e que irão operar de forma completa somente em 1° de setembro com o total de 12 estações e 15 veículos Zhidou e cinco BYD.

Na prática após realizar o cadastro, o usuário através de um aplicativo destravará as portas do carro, que começará a funcionar após acionar um botão na lateral do volante. A taxa de adesão ao sistema será em torno de R$ 40,00 que serão convertidos em crédito e cobrados mensalmente.

Por Denisson Soares

ZhIdou EEC L7 e-80


Elon Musk começou cedo sua carreira de sucesso: aos 12 anos produziu e vendeu um game por US$ 500. Depois criou o Zip2, um software que foi vendido para a Compaq por US$ 300 milhões. Em 1999 fundou X.com que mais tarde se uniu ao PayPal que foi vendido para o eBay por US$ 1,5 bilhão. Em 2002 fundou a SpaceX, empresa na área de veículos espaciais que conseguiu um investimento da NASA no valor de US$ 1,6 bilhão. Em 2008 assumiu o cargo de CEO de uma empresa fabricante de veículos elétricos, a Tesla Motors, e desde então, continua inovando para conquistar o mercado, como sempre fez.

A Tesla Motors, sob o comando de Musk, logo investiu pesado no Tesla Roadster, um carro totalmente elétrico que foi comercializado em 31 países. Mas devido a alguns problemas técnicos não conseguiu tanto sucesso como se esperava. Mas a Tesla Motors sabia que estava lidando com algo totalmente novo no mercado e problemas já eram esperados. A empresa trabalhou encima destes problemas, inovou, consertou e trouxe o Tesla P85D.

O Tesla P85D conta com 2 motores elétricos, sendo um para cada eixo, alcançando 691 CV, acelerando de 0 a 100km em 3,2 segundos. Somente a Ferrari F12 Berlinetta consegue um desempenho semelhante, mas comprar um Tesla P85D é bem mais vantajoso do que comprar esta Ferrari, afinal o Tesla P85D não emite poluentes, enquanto que a Ferraria emite mais de 350 gramas de CO² para cada 1km rodado. Outra questão é que esta Ferrari oferece espaço para 2 pessoas, enquanto que o Tesla P85D tem espaço de sobra para 5 passageiros além de espaço para muita bagagem.

Enquanto a Ferrari custa em média US$ 315 mil, o Tesla P85D custa somente US$ 120 mil! E com baterias capazes de armazenar mais carga, o Tesla P85D tem autonomia de 475Km! E o modelo ainda conta com vários sensores, oferecendo muita tecnologia para o condutor, por exemplo, velocidade regulada automaticamente para a via transitada, leitura automática das placas de sinalização fazendo com que o veículo possa, sozinho, reduzir a velocidade e até mudar de faixa, entre outras. Através de um monitor touchscreen, é possível realizar várias configurações, como a altura da suspensão, GPS, ar condicionado, etc.

Infelizmente, não há nenhuma previsão do Tesla P85D ser comercializado aqui no Brasil.

Por Russel

 

Tesla P85D

Tesla P85D

Fotos: Divulgação


Um carro de deixar qualquer um boquiaberto, estamos falando do Tesla S Project Califórnia.

Ele é considerado o carro elétrico mais caro do mundo, o que por consequência também o torna um dos modelos mais cobiçados. Só para se ter uma ideia do impacto que este carro pode causar, saiba que ele possui rodas de ouro que ainda não são o ápice do luxo estabelecido no Tesla.

O Tesla S Project foi desenvolvido pela customizadora T Sportline, que atua exclusivamente na tunagem de carros da Tesla e trabalha para se manter no topo das empresas responsáveis pela criação dos carros elétricos mais avançados do mundo.

Entre as especificações do carro que deixam qualquer motorista alucinado podemos citar: sistema multimídia que vem com tela sensível ao toque (que é avaliado em R$ 5.600), rodas de ouro com 21 polegadas (que custam o valor estimado de R$ 16.800), estofamento em couro 100% personalizado (no valor de R$ 56.200), pintura em vinil especial (por mais uma bagatela de R$ 13.500), spoiler traseiro de fibra de carbono (no valor de R$ 14.625), suspensão inteligente a ar (de R$ 5.000), Pacote Tech Plus (de R$ 8.400), teto solar (de R$ 5.600), além de todo o acabamento interior (que custa R$ 56.200).

Tudo isso faz com que o Tesla S Project Califórnia esteja estimando em mais de R$ 460 mil, o que prova que este não é um modelo para qualquer amante, mas se você quer saber como ficaria seu Tesla montado, basta acessar este link para realizar sua simulação de preço. Mesmo sendo um mero mortal apaixonado por carros, dá para arriscar e tentar conseguir essa oitava maravilha do mundo dos automóveis de luxo.

Por Igor Lima 


Já imaginou dirigir um carro elétrico movido a bateria? É o que promete a Hyundai, que está desenvolvendo e investindo energia em veículos com células de combustível movidas a eletricidade gerada usando hidrogênio.

A marca é rival da Toyota e a promessa do lançamento do carro elétrico é para 2016, ou seja, daqui a dois anos. Além disso, a marca também tem procurado desenvolver carros movidos a bateria por meio da empresa afiliada a Kia.

De acordo com o seu vice-presidente sênior, Lee Ki-Sang, chefe responsável pela divisão de carro ecológico da Hyundai e da Kia, não existe uma definição muito clara sobre qual carro ecológico vai ganhar. A Hyundai está procurando investir em veículos que são movidos a célula de combustível e a Kia está desenvolvendo carros elétricos. Assim, cada empresa está tendo um foco diferenciado.

Mas, de acordo com o vice-presidente, também chegará o momento em que a Hyundai lançará um carro elétrico movido a bateria e a Kia vai produzir um modelo movido a célula de combustível.

A expectativa é de que o primeiro carro elétrico movido a bateria seja lançado em 2016. Logo, veículos que tenham zero emissões devem se tornar mais frequentes no mercado a medida que o Governo lançar programas para incentivar a produção.

Desta forma, o jeito é aguardar ansiosamente pelo primeiro carro elétrico no país. Provavelmente o preço do veículo será elevado se for comparado com os outros modelos de carro. Atualmente, a Hyundai é uma das principais marcas do mercado automobilístico, sendo considerada campeã sul-coreana de veículos elétricos.

Logo, a Hyundai vai procurar atender aos pedidos de que os fabricantes produzam mais carros que tenham zero emissões em sua composição. Desta maneira, a marca vai lançar o seu primeiro veículo de bateria recarregável daqui a dois anos. Enquanto isso, o mercado vai aguardando ansioso para saber todas as novidades deste novo veículo, como design, preço e custo benefício.

Por Babi


A japonesa Yamaha decidiu inovar criando um automóvel. Isso mesmo, a empresa que é famosa pelas motos apresentou no Salão de Tóquio o conceito Motiv.e. Trata-se de um protótipo idealizado pela montadora auxiliado por Gordon Murray, ex-projetista da Fórmula 1. O modelo é movido a eletricidade e possui boas características. Ele está na mesma categoria que o Smart Fortwo, com pouco mais de 1 metro e meio de comprimento e capacidade para dois ocupantes.

O Motiv.e vem equipado com um motor elétrico que gera 33 cavalos e incríveis 97 kgfm de torque, o que equivale a cerca de dez vezes o que apresenta um modelo compacto de entrada, como o Uno Mille. O peso também é surpreendente, com 730 quilos, o carro é considerado bem leve, o que ajuda no torque. Para fazê-lo rodar, é necessário um conjunto de baterias de lítio, com autonomia para até 100 km. A recarga pode ser feita na rede elétrica de casa mesmo, em três horas padrão ou duas no carregador rápido. A versão a gasolina apresenta um bloco 1.0 de três cilindros com transmissão semi-automática e câmbio de seis marchas.

O protótipo apresentou um desempenho mediano, chegando aos 100 km/h em apenas 15 segundos. Já a velocidade máxima do carro é de 105 km/h, segundo a fabricante. A segurança do carro foi um dos pontos levados em consideração, sobretudo pelos tubos de aço ligados à estrutura, protegendo os ocupantes em casos de batidas. Além disso, o carro conta com freios ABS, possui airbags e tem controle eletrônico de estabilidade.

Outros carros já foram projetados pela marca, contudo, não chegaram a ser produzidos. As expectativas para o Motiv.e são as melhores, começa pelo nome, que remete à motivação, mas será que irá motivar os clientes a comprá-lo? O preço será um atrativo do lançamento. Ele será vendido na Europa por € 9.500 (cerca de R$ 29.900, sem impostos). A Yamaha irá produzir 200 mil unidades do automóvel anualmente e deverá lançá-lo em 2016. 

Por Robson Quirino de Moraes


BMW modelo elétrico será produzidoA BMW, famosa montadora alemã, confirmou a produção de seu primeiro automóvel elétrico.

O carro em questão apresentará uma satisfatória autonomia de 160 km. Diante desse novo projeto da BMW, fica mais do que evidente de que a marca está completamente ligada à tendência sustentável que invadiu o segmento automotivo.

O motor do modelo será capaz de gerar 170 cavalos e a velocidade máxima do modelo será de 150 Km/h. O carro elétrico da BMW será leve e terá um design diferenciado, além de fibra de carbono na composição.

Segundo a marca, o veículo contará com várias inovações tecnológicas, dentre elas:  aplicativos funcionais, acabamento impecável e muito conforto na parte interna. As características e finalidades dos Apps só serão reveladas posteriormente.

De acordo com a BMW, o carro deve chegar ao mercado europeu no mês de novembro e o preço de venda deve girar em torno de US$ 41 mil.  O lançamento no Brasil não tem data prevista, mas tudo indica que no segundo trimestre de 2014 o modelo será disponibilizado em países fora da Europa.

Quem quiser saber um pouco mais acerca dessa grande aposta da BMW deverá acessar o site www.press.bmwgroup.com, onde mais detalhes podem ser conferidos.

Por Larissa Mendes de Oliveira Soares


A BMW liberou as primeiras imagens e características da sua nova criação, o i3, o primeiro carro urbano elétrico da companhia.

Segundo o que foi divulgado pela montadora, o automóvel virá equipado com um leve motor de 50 quilos, que gerará uma potência de 170 cavalos e torque de 25,5 kgfm. O veículo será capaz de alcançar os 100 km/h em apenas 7,2 segundos.

A plataforma do carro será de fibra de carbono e alumínio. Além disso, a bateria será composta por íon-lítio e terá oito anos de garantia. Estima-se que a duração da bateria seja de aproximadamente 100.000 km.

A estabilidade do carro i3 ficará por conta dos sistemas de freios ABS, controle de tração, além do assistente de freios.

O carro virá equipado com um cartão SIM, visto que a BMW quer acompanhar a tendência mundial da nova tecnologia de carros conectado, que estão tão em alta no mercado automobilístico.

A multinacional afirma que o carro chegará ao mercado norte-americano no início de 2014 com um preço aproximado de 27 mil euros.

Por Melina Menezes.


A Fiat anunciou recentemente que será lançada a versão elétrica do Cinquecento. O 500e será oficialmente lançado no Salão de Los Angeles, que acontecerá de 30 de novembro a 9 de dezembro de 2012.

Ainda não foram divulgados dados sobre desempenho, autonomia e consumo, mas o subcompacto elétrico da Fiat visivelmente não se diferencia muito esteticamente do Cinquecento a gasolina. O que muda é a parte inferior do para-choque, que foi totalmente redesenhada, as soleitras laterais inferiores, rodas diferenciadas e cor exclusiva. 

No seu interior, o destaque vai para o console central. Agora no lugar da tradicional halavanca de câmbio haverá botões. Imagina que luxo trocar as marchas somente apertando botõezinhos? Além disso o seu painel será totalmente digital, uma graça!

Inicialmente as vendas do 500e ficarão restritas aos Estados Unidos, mais precisamente ao Estado da Califórnia, e já iniciarão no início de 2013.

Confira as fotos do 500e:

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação


A Mercedes Benz é uma das montadoras que mais inova e surpreende no mundo. Pautada numa forte política de modernização, a marca acaba de apresentar ao mercado o modelo Classe B Eletric Drive, sua nova aposta.

O lançamento é visualmente idêntico ao seu antecessor, entretanto, conta com motor elétrico com bateria de lítio. Essa versão atinge a potência de 135 cavalos e alcança a velocidade limite de 150 km/h. Além de alterações no conjunto mecânico, o veículo da Mercedes Benz vem equipado com: ar-condicionado, air-bags frontais e laterais, tração integral e freios ABS.

Na parte interna, o lançamento continua primando pela sofisticação e comodidade. O conforto é oferecido pelos bancos totalmente acolchoados, completo sistema multimídia, opções de entretenimento como Blue Ray, volante com comando, navegador GPS, vários porta-objetos, entrada USP, dentre outras funcionalidades.

Os interessados em ver de perto e até mesmo comprar esse lindo carro sustentável, terá que espera um pouco mais, uma vez que o novo  Classe B Eletric Drive da Mercedes Benz só começará a ser vendido em 2014. Os preços de comercialização não foram divulgados pela marca.

Por Larissa Mendes de Oliveira


O mercado dos automóveis elétricos conta com cada vez mais opções de compra e desta vez a novidade fica por conta da Ford, pois a montadora norte-americana já oferece nas suas concessionárias localizadas nos Estados Unidos, o novo Ford Focus Eletric para venda.

Este modelo, que estava sendo produzido desde dezembro de 2011 no estado de Michigan (EUA), consiste na opção totalmente elétrica do hatch compacto já consagrado desta marca de automóveis em todo o mundo.

Este Focus funciona a partir de um propulsor com 100 quilowatts de capacidade, o qual pode chegar a até 125 cavalos de potência, este propulsor está ligado a uma transmissão com uma única marcha e por isso a marcha a ré é feita de forma eletrônica.

Nesta situação, este carro elétrico consegue percorrer 42,5 km/litro e pode ter uma autonomia sem necessidade de recarregamento de 160 quilômetros, tendo ainda uma velocidade máxima de 125 km/h.

Para aqueles que gostaram desta novidade, o novo modelo elétrico da Ford – que deve demorar ainda um pouco para chegar no Brasil visto que a sua venda ainda está rstrita a alguns estados norte-americanos – terá preços a partir de R$82 mil  e terá como grandes concorrentes neste mercado o Chevrolet Volt e o Nissan Leaf.

Por Ana Camila Neves Morais


Mais uma notícia boa chega ao mercado automotivo em todo o mundo, pois a montadora alemã Smart informou que a versão elétrica do modelo Fortwo já está sendo produzida.

Este modelo com o nome Smart Fortwo Electric Drive é a terceira geração deste carro subcompacto e está sendo feito em Hambach, na Alemanha, com um investimento de 200 milhões de euros que permitiram a inclusão de diversos itens tecnológicos para originar este novo carro elétrico.

O Fortwo Elétrico permitirá, segundo a montadora, uma maior acessibilidade dos carros elétricos para a população em geral, bem como possibilitará um aumento na liderança desta marca quanto ao segmento de veículos urbanos.

Este novo veículo será equipado com um motor com 75 cavalos de potência, que permite ao mesmo alcançar uma velocidade máxima de 125 km/h. Além disso, esse motor possui uma bateria com capacidade de 17,6 kWh, os quais garantem ao mesmo cerca de 145 quilômetros sem a necessidade de recargas.

Para aqueles que gostaram da novidade e desejam adquirir este novo modelo elétrico, ele será vendido inicialmente no mercado europeu por dois meios. O primeiro diz respeito à compra ou leasing do automóvel que para isso possui duas versões: o Fortwo ED Cupê no valor de 19.000 euros e o Fortwo Cabrio, no valor de 22.000 euros.

A outra alternativa para os consumidores diz respeito ao aluguel mensal da bateria, no valor de 65 euros por mês.

E existe ainda uma terceira opção de compra para o Smart Fortwo Elétrico é a compra conjunta carro + bateria com preços de 23.680 euros para modelo cupê e 26.770 euros para modelo cabrio.

Por Ana Camila Neves Morais


Uma novidade interessante surge para os apaixonados por carros e suas inovações, pois a BMW abriu a sua primeira loja que é destinada apenas para veículos elétricos da sua sub-marca "i". Esta loja está localizada na cidade de Londres, na Inglaterra e foi inaugurada no dia 13 de junho de 2012.

Para o uso público, esta loja estará aberta a partir do dia 25 de julho de 2012, com o nome 'BMW i Park Lane' e terá uma maneira totalmente inovadora com uma experiência focada na mobilidade sustentável.

Segundo Ian Robertson – membro do conselho administrativo da montadora – esta nova loja oferece a grande oportunidade de aprender um pouco mais sobre a mobilidade elétrica e permite que os usuários cheguem perto dos veículos híbridos da linha BMWi.

Além disso, a montadora aproveitou a oportunidade para apresentar a nova versão do i3 Concept – carro conceito da BMW – que adquiriu um novo interior, o qual é feito totalmente de materiais naturais sustentáveis.

O modelo i3 tem previsão de chegar ao mercado mundial no final do ano de 2013 e o i8 vai iniciar as suas vendas no ano de 2014. Outra novidade mostrada pela BMW foi a bicicleta elétrica Pedelec e o BMW i Walbox que possui um sistema o qual ajuda a recarga dos veículos na cada dos seus usuários.

Por Ana Camila Neves Morais


O novo Chevrolet Volt é um veículo que pretende revolucionar o conceito atual de carro elétrico. Além do seu design bastante atraente, o Volt está virado para um novo conceito de mercado que é o dos veículos elétricos com sistema de autonomia alargada, sendo este o primeiro carro a ser desenvolvido com a capacidade de produzir a sua própria energia.

Apoiada por um gerador de energia com capacidade de 1,4 litros, a sua bateria de refrigeração líquida pode ser recarregada à medida que o carro vai circulando durante mais de 500 km.

Para recarregar a bateria, bastará que ela seja ligada a uma tomada de corrente elétrica (220-230V / 50 Hz) durante um período que nunca deverá exceder 3 horas. Desta forma, o Volt estará habilitado a circular por cerca de 60 km sem qualquer emissão de CO2. Após os 60 km, o Volt pode continuar a circular sendo a bateria alimentada pelo gerador.

O modelo será lançado na versão 5 portas, com 4 lugares. O sistema de frenagem é feito através de discos ventilados tanto nas rodas da frente como nas de trás. Apesar de ser um veículo elétrico, o novo Volt poderá atingir cerca de 160 km/h. Tem uma potência de 150 cavalos vapor e um binário instantâneo de 370 Nm.

Aguarda-se com grande expectativa o lançamento deste novo utilitário amigo do ambiente.


O novo Tesla X é um carro elétrico, o terceiro modelo do seu gênero, que vai ser apresentado no próximo dia 9 de fevereiro de 2012, precisamente no mesmo dia do Chicago Auto Show. Essa é uma excelente notícia, pois se esperava que este novo modelo surgisse só para o ano de 2013 ou 2014.

Este automóvel será ainda mais inovador que os precedentes, com uma terceira fila de assentos, para acomodar tranquilamente sete adultos. Ou seja, este será um veículo espaçoso e luxuoso.

Atualmente, prevê-se que o novo Tesla X possa comercializar 15 mil unidades por ano.

Como a tecnologia da bateria está constantemente sendo desenvolvida, são muitas as possibilidades existentes no mercado para o modelo Tesla X. O gasto na energia da bateria pode ser de cerca de 7% a 9% por ano, o que se refletirá, em termos de poupança, ao longo do tempo.

A Tesla planeja construir o modelo X paralelamente ao modelo S (que é a prioridade da marca).


O lançamento do carro que se chamará “Hiriko” está previsto para 2013, a ideia é que o modelo seja um meio de transporte alternativo em tempos que tanto se fala em hábitos sustentáveis. O veículo custará em média 12 mil euros o que seria mais ou menos R$ 28 mil.

O protótipo de “Hiriko” é uma criação do consórcio espanhol Hiriko-Afypaida e foi apresentado na sede da Comissão Europeia, em Bruxelas.

O carro pode ser a solução para os problemas do transporte público e a poluição, já que o combustível do carro é a eletricidade e polui muito menos que os combustíveis fósseis. 

A novidade desse modelo é que ele é “dobrável” facilitando na hora de estacionar e ocupando menos espaço que os veículos comuns. Os detalhes informados sobre esse carro é que ele é de dois lugares, pesa cerca de 730 quilos e tem motor nas quatro rodas.

A previsão é que até a metade de 2013 o “Hiriko” estará no mercado para comercialização, mas antes passará por testes de qualidade e segurança nos Estados Unidos e na Europa.

Por Jéssica Posenato

Fonte: G1


Foi lançado pela Kia Motors na Coreia do Sul nesta quinta-feira, 22/12, o primeiro veículo elétrico do país, o Kia Ray EV. O carro coreano recém lançado não polui o meio ambiente e pode fazer até quase 140 km por carga.

A carga dura cerca de 25 minutos e é embutido no carro um sistema que localiza os pontos de recarga mais próximos.

A capacidade de arranque do Ray EV chega a velocidade de 130 km/h (mais potente que os carros a gasolina).

A tração do Ray EV é nas rodas dianteiras que por sua vez é alimentada por um motor elétrico de 67,9 cv de potência, mantida através de uma bateria de alta capacidade de lítio de 16,4 kWh. Essa bateria tem ciclo de vida projetado para 10 anos e sua recarga dura 6 horas em fontes 220v.

O EV possui 77% de torque a mais que qualquer veículo 1.0, chegando a 17 kgfm. O modelo também utiliza um tipo novo de sistema de frenagem regenerativa, onde o motor elétrico gera impulso no freio hidráulico auxiliar, como em veículos de combustão interna. A Kia informou que o resultado é um freio linear que consegue ainda recuperar a energia, diferente das outras formas em que ela seria perdida na desaceleração.

O novo carro estará disponível apenas no mercado sul-coreano. 2.500 unidades deverão ser produzidas para uso de algumas agências do governo da Coreia do Sul.

Por Manoel da Costa Jr


Começou o Salão do Automóvel de Frankfurt, na Alemanha, um dos eventos mais esperados do ano por aqueles que gostam de novidades referentes ao universo da indústria automobilística. Logo no primeiro dia do evento, uma das apresentações que mais chamou a atenção foi a do Opel RAK e Concept, um pequeno veículo elétrico, que mais se parece a um misto de carro e moto.

O modelo, desenvolvido pela subsidiária alemã da General Motors, foi criado para ser uma alternativa aos grandes veículos, que têm contribuído cada vez mais para a lentidão do trânsito em movimentados centros urbanos. Ele é mais um integrante do novo segmento de compactos elétricos futuristas e ecológicos, que já conta com o Twizy, da Renault; o Urban Concept, da Audi; e o Volkswagen Nils, entre outros, recém-apresentados ao público.

Bastante leve, pesando cerca de 380 kg, e compacto, com capacidade para carregar 2 pessoas, o RAK é movido por um motor totalmente elétrico, capaz de gerar 49 cv de potência e torque de 5,9 kgfm, o suficiente para levá-lo a atingir uma velocidade máxima de 120 km/h, de acordo com a fabricante. A fonte de energia do propulsor é uma bateria, que pode ser totalmente recarregada em 3 horas, fornecendo uma autonomia de 100 km.

O protótipo terá como destino, inicialmente, as ruas de vários países europeus, assim que confirmada a sua produção em série. No velho continente ele poderá ser dirigido por pessoas com idade a partir de 16 anos.

Por André Gonçalves

Fonte: Automobile Magazine


As fronteiras de criação da indústria automobilística quando se trata da busca por modelos de propulsão elétrica normalmente não tem limites e demonstra a cada conceito criado uma capacidade enorme de inovação. Este é o caso do elétrico da Renault, o Twizy. Com formato revolucionário, conceitos de locomoção e segurança inovadores, o futurista carrinho elétrico da marca francesa tem potencial para fazer sucesso e cair no gosto dos consumidores que buscam um carro pequeno, econômico, totalmente revolucionário e mais seguro que as motos.

Para começo de conversa o Twizy é bem pequeno, apenas 2,33 metros de comprimento e menos de dois metros de largura. Possui capacidade para duas pessoas, dispostas uma atrás da outra, e vários equipamentos de segurança, entre eles barras de reforço lateral, carroceria deformável e também airbags, além de itens de conforto e tecnologia que lhe dão certa sofisticação. Seu design é totalmente inovador e bem equilibrado levando-se em conta as restrições de suas dimensões reduzidas. Totalmente zero no quesito emissões de poluentes, o pequenino é movido por baterias de íon-lítio que lhe dão autonomia de 100 quilômetros e que em tomada convencional podem ser reabastecidas em um tempo bem pequeno, apenas três horas e meia.

Os propulsores são de baixa potência. A versão Twizy 45 produz apenas 5CV, já as outras duas configurações, chamadas de Urban e Technic possuirão motores que poderão gerar 17CV.

Com preços já divulgados, que na versão mais cara, a Technic custará cerca de 8.890 euros, e tendo previsão de comercialização a partir do final de 2011 e começo de 2012, o Twizy já aceita reservas através do site da montadora que tem planos de vendê-lo em trinta e oito países do mundo, podendo incluir o Brasil.

Foto: Dream Car

Por Mauro Câmara

Fonte: G1


Caprichando em uma série de lançamentos interessantes, entre eles o seu terceiro SUV, o Q3,que será apresentado no Salão de Xangai nesta semana, a montadora alemã Audi, de acordo com sites especializados, divulgou alguns detalhes técnicos de seu futuro modelo elétrico, o Hatch A3 E-tron que deverá estar à disposição no mercado em breve.

Ainda sem data definida para o lançamento, o A3 E-tron, que foi baseado no Hatch compacto A3, manteve as linhas suaves, o desenho equilibrado e bem fluido que compõe um conjunto visual agradável e atual com certo ar de esportividade cosmopolita.

Sua parte mecânica envolve um motor elétrico que pode produzir 130 CV de potência alimentado por uma bateria de Lítio-ion, que de acordo com a montadora, quando recarregada em tomadas comuns leva nove horas para ter a carga completada. Quando a alimentação é em recarga rápida o período necessário cai para apenas quatro horas. Sua autonomia está na casa dos 90 quilômetros. O arranque de 0 a 100 km/h se dá em onze segundos. Certamente um tempo alto, mas que é compensado por uma maior consciência ecológica e pela emissão zero de poluentes.

Por Mauro Câmara

Fonte: G1


Imagine um carro não com quatro, mas com três portas, cabendo quatro passageiros, muito compacto e feito de um material inusitado, longe de ser o tradicional aço. Agora, pare de imaginar, porque a montadora Motive há algum tempo anunciou que irá mesmo transformar isso em realidade dentro de um ou dois anos.

A companhia já divulgou imagens do seu carro conceito, chamado Kestrel, que é mesmo cheio de novidades, mas a mais diferente é que ele tem a carcaça, ou carenagem, confeccionada a partir da manipulação do cânhamo, material considerado resistente e leve pelos engenheiros da fabricante. É o que eles chamaram de “carroceria biocomposta”.

O cânhamo pode ser considerado uma espécie de erva prima boa da Cannabis, a popular maconha, usado em vários produtos que usamos cotidianamente, como tintas e óleos. O composto produzido com a planta reduz bastante o peso do veículo, proporcionando portanto um uso racional da energia utilizada para movê-lo (detalhe: o Kestrel será movido a eletricidade).

Por Alberto Vicente


Assim como a GM e a Nissan já vendem os seus carros elétricos Volt e Leaf na Europa, a Mercedes não ficou para trás e também está investindo pesado em carros elétricos.

Na Espanha, por exemplo, o mais recente lançamento foi o Classe A E-Cell. Semelhante ao tradicional Mercedes Classe A, que é movido a gasolina, o E-Cell tem 5 lugares e as baterias de lítio ficam na carroceria, na parte inferior do veículo.

As baterias podem ser carregadas em tomadas comuns, porém demoram 8 horas para completar a carga, já em um posto apropriado para esse tipo de recarga, a demora é de apenas 3 horas, o que garante ao proprietário do veículo 255 km de autonomia. O E-Cell também tem a capacidade de recuperar a energia em reduções e frenagens.

A Mercedes tem um portfólio bastante avançado nesse segmento, pois vem desenvolvendo carros elétricos, como o Van Vito E-Cell, desde 2009.  

Por Edson Nascimento


Apesar das diversas inovações tecnológicas aplicadas aos automóveis atuais, que em geral priorizam o conforto com muito luxo ou praticidade, há um sério problema que impede uma vida longa para alguns desses protótipos no futuro: a poluição emitida por eles.

Todos os modelos que existem hoje no mercado automobilístico, cujos motores liberam gases nocivos ao meio ambiente tendem a desaparecer em resposta a uma tendência emergencial que demanda por tecnologias mais sustentáveis. Dessa forma, algumas companhias do ramo da indústria automobilística lançam suas propostas de veículos ecologicamente corretos.

A Ford investiu nos protótipos elétricos, uma saída viável para o problema da poluição. Recentemente foi lançado o Focus Eletric, um carro completamente elétrico que funciona com uma bateria potente que pode ser carregada em 3 horas. A adaptação ainda exige alguns processos, um exemplo disso é a falta de postos de recarregamento – hoje no Brasil existem menos de 2 mil estabelecimentos preparados para abastecer esse tipo de veículo.

Mas as perspectivas de investimento no setor são muito positivas – ao que tudo indica, em um ano esse número deve subir para 12 mil.

Por Vivian Fiorio


Ninguém duvida que boa parte do futuro da indústria automobilística vai residir nos carros híbridos e elétricos. Atualmente únicas alternativas ecologicamente corretas aos atuais modelos poluidores, que cada vez mais não irão se adaptar as normas de emissão de poluentes que já existem no mundo. O que vem provocando a retirada da linha de produção de alguns modelos, principalmente na Europa.

Mas o grande problema nesta tecnologia, que como toda nova tecnologia em seu desenvolvimento apresenta desafios, é a questão da duração das cargas das baterias e a forma de se fazer as recargas. A grande maioria dos modelos em testes ou já a venda, apresentam baterias de Lition-ion que requerem em média até oito horas para serem recarregadas. Este é o caso do modelo da General Motors e sua principal esperança de sucesso de vendas no futuro, o Volt. Em uma tomada comum de 110 Volts este é o tempo necessário para uma recarga completa, que permite ao modelo uma autonomia de 60 quilômetros, baseada exclusivamente nestas baterias.

Visando começar a resolver este problema e conseguir aumentar a autonomia, a GM fechou um acordo de transferência de tecnologia que permitirá à montadora utilizar tecnologia desenvolvida por um instituto tecnológico federal norte-americano que visa ampliar a capacidade de carga através da utilização de material já patenteado pelo Laboratório Nacional Argonne do Departamento de Energia dos Estados Unidos.

Esta tecnologia permite que as baterias de Lition-Ion, não só tenham uma capacidade de carga maior entre as recargas como poderá permitir que elas sejam recarregadas em voltagens maiores. O que vai diminuir o tempo necessário para o reabastecimento.

Por Mauro Câmara

Fonte: G1


Tendência que com certeza irá se reafirmar nesta nova década, à medida que a preocupação com o aquecimento global aumenta a produção de carros totalmente elétricos ou híbridos, segue ganhando espaço entre as principais montadoras do mundo.

Logo neste inicio de ano a Renault-Nissan já inaugurou a produção, em sua fábrica na Turquia do modelo Renault Fluence ZE (ZE de Zero Emission). O Renault ZE é um modelo esteticamente bonito, de desenho “clean” e ecologicamente correto, já que é totalmente elétrico. Seu propulsor gera cerca de 70 Kw, o equivalente a aproximadamente 95 CV de potência. De acordo com a montadora a velocidade máxima do modelo chega aos 135 Km/h, com autonomia de 160 Km.

O grande calcanhar de Aquiles dos veículos totalmente elétricos, que é a recarga das baterias e o tempo demandado para isso, era um problema que com certeza será equacionado em um futuro próximo, tornando o reabastecimento mais ágil e rápido. No caso do Fluence ZE o tempo de recarga em uma tomada de 220V leva oito horas e em prováveis futuros postos de abastecimento, onde as fontes deverão ser de 400 Volts, o tempo de recarga levará trinta minutos.

Os primeiro modelos fabricados serão submetidos a testes nos primeiros meses deste ano, para que em Setembro, mês em que se iniciarão as vendas na Europa, qualquer problema que possa ocorrer já esteja resolvido.

Por Mauro Câmara

Fonte: Carros IG


O poluído meio-ambiente tem incitado empresas de todo o mundo a adotar uma série de medidas para diminuir a emissão de gases nocivos à atmosfera. O setor de veículos automotores, um dos atentos a esse fato, procura se valer da conscientização mais ampla da população e anunciam, quase diariamente, novidades.

A unidade de Michigan da Ford, situada no norte dos Estados Unidos, foi reaberta recentemente e aposta justamente nessa disposição. Com investimentos de US$ 550 milhões, a fábrica será responsável por produzir exclusivamente um único exemplar, o Focus.

Possivelmente, de acordo com o Car Sale UOL, os primeiros modelos serão dispostos nas concessionárias em meados do primeiro trimestre de 2011, por meio da versão elétrica, e a partir de 2012 com a híbrida e a híbrida plug-in (que permite ao condutor recarregar a energia do carro por meio de uma tomada comum).

A Ford aproveitou para anunciar estabelecimento de convênio com as companhias Xtreme Power e Edison no intuito de implementar um sistema de proveito da energia solar, com capacidade para motivar 500 kW de eletricidade.

Por Luiz Felipe T. Erdei


Com possibilidades de retornar ao país após mais de uma década (atuou por aqui entre 1994 e 1998), a Mazda começa a preparar novidades para o mercado. Com intenção de lançar um exemplar híbrido, movido a gasolina e motor elétrico, a montadora ratificou o objetivo de fabricar modelos híbridos e elétricos com conceito plug-in.

Leia mais: Mazda Motor pretende iniciar Vendas de Veículos no Brasil, Rússia e Índia

O conceito plug-in denota recarregar a bateria do carro por meio de uma tomada elétrica convencional, ou seja, as utilizadas em residências e empresas.

De acordo com Takashi Yamanouchi, presidente-executivo da empresa, a montadora adotará a disposição mostrada pela Nissan, Honda e Toyota no relativo aos modelos compactos híbridos. De acordo com o portal online da revista Quatro Rodas, a Mazda quer emplacar no mercado mundial, em 2013, um veículo utilizando a tecnologia sustentável ostentado pela fabricante Toyota.

Por Luiz Felipe T. Erdei


O MMR City será híbrido termoelétrico, e será montado somente com peças nacionais. As versões disponíveis serão a picape, furgão e van. A carroceria será feita de plástico reforçado com fibra de vidro e curaurá, que é uma planta parecida com o abacaxi, e terá estrutura e chassi tubular.

Os MMR terão tração traseira, com motor na traseira, e as doze baterias ficarão sob os bancos, baterias tracionárias de chumbo-ácido. Na dianteira ficará o estepe e o gerador movido a álcool, pois o álcool é um combustível que não está sujeito a envelhecimento, como a gasolina, além de ser melhor pela questão ambiental, pois não aumenta  a quantidade de gás carbônico na atmosfera, e sim apenas devolve o que a cana retirou dela.

Só com a carga das baterias, o MMR City poderá percorrer apenas 100 km e atingir a velocidade máxima de 100 km/h. Isto é o que o motor elétrico de 10 cavalos possibilitará para esse carrinho urbano de 650 kg. Ele mede apenas 2,6 metros de comprimento. Com o motor a álcool, a autonomia do MMR City será de até 300 km.

Fonte: Quatro Rodas

Por Gerson de Morais


Carros antigos, sucesso absoluto entre o público, aparecem de vez em quando no mercado mundial, porém com inúmeras reformulações em conformidade com os gostos do mundo contemporâneo, desde adequações nas linhas de design até reformulação de motor, redesenho do painel, volante, entre outros.

Informações levantadas pelo jornal norte-americano The New York Times supõem que a montadora Ford estaria confeccionando um modelo para substituir o Ford GT, mas com escopo na motorização elétrica ou híbrida, assim como o Volt, da GM.

Embora não existam informações concretas, os modelos híbridos ou elétricos, em alta no segmento, podem incitar a Ford a ingressar nesse nicho. De acordo com o Car Magazine, em breve o mercado poderá observar a disposição de um modelo esportivo com base na propulsão voltada ao slogan “ecologicamente correto”.

Por Luiz Felipe T. Erdei


O salão do Automóvel de Paris deve marcar uma tendência em todo o mercado industrial automotivo: a busca por autonomia elétrica.

Várias marcas irão apresentar seus modelos elétricos e alguns ainda prometem lançar motos e scooters elétricos.

Um exemplo é a Smart, que juntamente com seu modelo de carro elétrico, vai lançar uma scooter movida a eletricidade, que poderá ser recarregada em tomadas comuns.

Esta tendência só afirma a preocupação das empresas e do público em geral com o futuro do planeta e com a preservação das fontes de energia. E pensar que a poucos anos atrás imaginar isto estava tão longe dos consumidores comuns.

Por José Alberi


Depois de apresentar em maio deste ano o protótipo Blue-e-motion, a Volkswagen mostrou o modelo definitivo para a produção a partir de 2013 do Golf elétrico. A montadora afirmou que no ano de 2011, uma frota de aproximadamente 500 Golfs deste tipo serão testados na Europa.

Poucas unidades serão produzidas, e provavelmente a VW não fará outros modelos equiparados com o motor elétrico. Os tradicionais combustíveis gasolina e diesel vão continuar como opções para os consumidores.

Uma das características desse hatch é a presença de um sistema que desacopla o motor elétrico quando o motorista para de pressionar o pedal de aceleração, o carro se movimenta por inércia e poupa eletricidade. Com um motor de 117 cv e 27,6 kgfm de torque, o Golf pode gerar uma potência máxima de 85 KW, sendo equipado com um propulsor movido a eletricidade.

O veículo atinge uma velocidade máxima estimada em 140km/h. 

Por Oscar Ariel


O diretor de marketing do modelo, Tony DiSalle, confirmou que a montadora americana fabricará 40 mil unidades do Volt entre os anos de 2011 e 2012.

A priori, os carros elétricos serão vendidos apenas em território norte-americano, nas cidades de Michigan, Washington D.C, Austin, Nova Iorque, Nova Jérsei e Connecticut. A General Motors quer oferecer o modelo por todos os estados dos Estados Unidos em um prazo de até 18 meses, após o lançamento oficial.

Com o Volt, o grande objetivo da General Motors é melhorar a imagem da sua marca perante os motoristas americanos, mostrando que a montadora também pensa na preservação do meio ambiente.

Por VSZ


O Japão que tem uma das maiores frotas de taxi do mundo com cerca de 160 mil veículos em Tóquio, já colocou em testes, automóveis movidos a eletricidade. Atualmente são 3 os carros circulando pela capital. O país precisa encontrar formas de combustível alternativo, pois chega a exportar toda produção de petróleo.

A autonomia desses carros é 160 km com bateria cheia que chega a durar de 5 a 14 horas para recarregar. No entanto, já existem 160 postos espalhados pela cidade que facilitam o trabalho, trocando a bateria, um pouco maior que a de um celular. A troca dura menos do que abastecer um carro à combustão. Em apenas 1 minuto o carro elétrico já pode sair com uma nova peça.

Os veículos elétricos não têm escape e o motor é extremamente silencioso. Só dá para ouvir os motores de outros carros circulando. Estes automóveis já estão em comercialização no Japão e o consumidor pode contar com os postos de troca, ou se quiser, recarregar em casa.

Por Rogerfarias


Um pequeno carro elétrico para dois lugares com autonomia de 160 km. Este é o BMW Mini E, a versão elétrica do Mini. A montadora alemã tem planos de colocá-lo no mercado em meados de 2013, mas antes disso a empresa submeteu o veículo à vários testes com 20 motoristas na Grã-Bretanha.

E o resultado dos testes foram bem positivos, segundo a BMW. Claro que nem tudo são flores, pois sabemos que os elétricos sofrem com determinadas limitações. Um delas é a autonomia, e a falta de postos para recarregar as baterias.

A falta de espaço também foi uma das preocupações de um dos motoristas. Peter McManners ressaltou a falta de espaço para carregar seus filhos, uma vez que os bancos traseiros do veículo tiveram que ser retirados para acomodar as baterias.

Na avaliação da BMW os testes foram um sucesso e servem para a empresa aprimorar o desenvolvimento das tecnologias responsáveis pelo carro elétrico.

Por Maximiliano da Rosa

Fonte: BBC


O aquecimento global, tema de simbólica relevância neste novo século, tem levado as autoridades mundiais e empresas ecologicamente conscientes a repensarem valores, tais como as fabricantes de papel, por exemplo, que contribuem com a natureza ao replantar árvores.

No entanto, um grande poluidor – existem vários exemplos – é, com certeza, cada automóvel rodando pelas ruas e avenidas de cada país. Uma solução encontrada, pelo menos na teoria, é a confecção de veículos elétricos, que embora venham a apresentar motor mais fraco em relação aos carros movidos por derivados do petróleo, poderão colaborar, no futuro, para um ambiente mais saudável.

Aos que imaginam intenções somente dos países desenvolvidos, enganam-se. Segundo o portal de economia do Estadão, Nelson Barbosa, secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda, afirmou que na próxima semana o governo brasileiro deverá lançar um programa de estímulo ao desenvolvimento de veículos elétricos dentro do país.

As medidas iniciais cerceiam redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) a esse “novo” segmento, investimentos em maior escala para pesquisas, criação de um centro específico ao estudo da tecnologia, entre outras.

Por enquanto, investimentos estrangeiros não foram mencionados. Caso a empresa seja genuinamente brasileira, espera-se que o mesmo não aconteça a ela com o ocorrido com a Gurgel, certo?

Por Luiz Felipe T. Erdei


A Tesla foi uma das pioneiras nos projetos de carros elétricos. O sucesso dos conceitos desenvolvidos por ela animou outras empresas a fazerem o mesmo. Agora a montadora está empenhada em tornar o seu veículo elétrico uma realidade, não mais uma promessa. Para isso está contratando engenheiros com o objetivo de acelerar o processo. A preferência é por ex-funcionários de outras montadoras.

Além disso, a empresa pesquisa o local onde instalará a fábrica de seu sedã, o Tesla S, e o anúncio do local escolhido será feito em breve, daqui algumas semanas.

Com preço estimado de 50 mil dólares, o automóvel deverá estar nas ruas em 2012, e poderá acelerar de 0 a 100 em menos de seis segundos, o que é a metade da maioria dos veículos da concorrência. A velocidade máxima também deverá ser um bom atrativo: 193 km/h.

E para que a produção não sofra qualquer tipo de interrupção, a Tesla deverá contar com dois fornecedores diferentes para cada peça.

Parece que é o futuro chegando.

Por Maximiliano da Rosa

Fonte: Carro Online





CONTINUE NAVEGANDO: