Vendas de veículos registraram queda em julho



  

Com a crise econômica, o setor automobilístico também sofre as consequências. Em julho de 2015, o número de veículos emplacados caiu mais de 19%, registrando 84,2 mil veículos a menos nas vendas em comparação com o mesmo período do ano passado.

A crise na economia brasileira atingiu também o mercado automobilístico. Em comparação com o mês de julho do ano passado, o número de veículos emplacados caiu mais de 19%. O número registrado no ano foi de 84,2 mil veículos a menos do que no ano passado, onde o número de veículos com novo emplacamento foi de 436,6 mil. 

Os números registrados incluem veículos como automóveis comerciais leves, motocicletas, ônibus, veículos rodoviários e de outros tipos. Os índices foram divulgados na última segunda-feira (dia 3) pela Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave). A entidade representa atualmente cerca de 8 mil concessionárias por todo o país.

Se for comparado com o mês de junho deste ano, no entanto, o número de emplacamentos subiu 6,9%. Ao analisar o acumulado do ano, a queda é de 17,8% em relação ao mesmo período no ano de 2014. Nos primeiros sete meses deste ano foram emplacados cerca de 2,4 milhões de unidades automotivas, e no ano de 2014, o número era de 2,9 milhões no mesmo período.

Segundo a fundação, o aumento em relação ao mês de junho foi impulsionado graças ao calendário. O mês de julho possuía 23 dias úteis e o mês de junho somente 21. Um aumento discreto nos dias úteis, mas que já impulsionou um leve aumento no número de vendas.

Porém, em todos os segmentos, segundo a média, o saldo permaneceu negativo em 2,09% durante os dias úteis. O presidente da Fenabrave, Alarico Assumpção Júnior faz uma projeção ainda mais negativa para o setor durante todo o ano de 2015. Segundo ele, a queda poderá chegar a 20% no setor.





Para os veículos comerciais leves, a queda foi de 21,58% em relação ao mesmo mês do ano passado, já os caminhões registraram queda de 42,95% em seus novos emplacamentos. Os ônibus somaram 26,46% a menos emplacamentos do que em 2014, segundo a pesquisa.

A grande queda no número de caminhões emplacados parece estar ligada diretamente à queda do consumo brasileiro. Como o comércio está desaquecido, o transporte de produtos sofre queda e, consequentemente, o número de vendas de caminhões diminui, superando a queda de automóveis leves e de ônibus.

Por Patrícia Generoso

Venda de veículos

Foto: Divulgação



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *