Honda e Toyota – Paralisação na produção de veículos por falta de peças



  

Terremoto, tsunami e desastre nuclear. A tragédia tripla no Japão não poderia ter mesmo poucos efeitos na produção industrial daquele país. Tanto que o dano causado às fábricas na região de Sendai, aliado ao racionamento de energia devido ao desligamento de importantes centrais nucleares, como Fukushima-Daiichi e Onagawa, está trazendo transtornos para fabricantes de carros do país, como a Honda e a Toyota, com impacto sobre essas empresas no mundo inteiro, inclusive no Brasil e na Argentina.

Nesta segunda, 25 de abril, não houve produção de carros Toyota em Indaiatuba/SP, ou seja, cerca de 300 veículos deixaram de ser fabricados. A montadora também planeja reduzir a produção pela metade nos dias 13, 20 e 27 de maio em Zárate, na Argentina. Já na Honda, a produção será interrompida de 23 de maio a 3 de junho. Segundo informações divulgadas pelas montadoras à imprensa, não haverá demissões: a paralização visa apenas à normalização dos estoques de peças.





Os fornecedores dessas duas montadoras, notadamente aqueles da região de Sendai, não estão entregando adequadamente as peças. No Japão, a produção da Toyota chegou a cair a 1/3 do normal e ainda agora se encontra em cerca de 50% do que era antes do terremoto. Os números da Honda também não são muito diferentes.

Fora do Japão, segundo o Business Times de Singapura, a produção da Toyota está ainda menor, em apenas 40%. A expectativa da montadora é que a produção se normalize no fim do ano no Japão, e em agosto ao redor do mundo.

Por CG



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *